Mais de 480 trabalhadores do sector do turismo recuperam seus empregos

ECONOMIA

Mais de metade dos trabalhadores do sector do turismo que haviam perdido os seus empregos ou viram seus contratos suspensos devido aos impactos da Covid-19, acabam de recuperar os seus postos de trabalho. A informação foi revelada pelo governador da Província de Maputo, Júlio Parruque que não tem dúvidas de que o “turismo está de volta, depois de muitos meses de paralisação.

Um total de 814 trabalhadores do sector do turismo, na província de Maputo, viram seus empregos em risco nos últimos meses, devido aos impactos da pandemia da Covid-19, que levou a suspensão de muitos contratos.

A situação foi agravada pelo enceramento das fronteiras terrestres e aéreas durante os cinco meses em que vigorou o estado de emergência, afectando, assim, a actividade hoteleira e de restauração, que durante os últimos meses esteve a operar a níveis muito aquém do desejado.

Todavia, o sector está a registar uma ligeira recuperação, no quadro da retoma gradual da economia do país e, como tal, alguns trabalhadores que estavam por largos meses com contratos suspensos acabam de recuperar os seus empregos.

“Hoje e aqui apraz-nos informar que mais de 480 trabalhadores do sector do turismo já recuperaram os seus postos de emprego, facto que muito nos encoraja e agora com a retoma cada vez mais assente e a véspera da quadra festiva, todos os trabalhadores irão recuperar os seus empregos, tanto mais que precisaremos de mais ainda mais trabalhadores”, afiançou o governador da Província de Maputo, que falava, na Ponta de Ouro, momentos depois de inaugurar uma estância turística de três estrelas, denominada CAJUTES.

Na ocasião, o governante convidou turistas nacionais e estrangeiros a visitarem a Ponta de Ouro durante a quadra festiva que se avizinha, para explorarem a beleza única e os mais de sete quilómetros de praia.

“Estão criadas todas as condições ao nível da Província de Maputo para a segurança dos turistas em relação a prevenção da Covid-19”, disse Parruque, destacando o facto de esta província ser um dos três principais destinos do turismo ao nível do país.

Parruque lembrou que durante a crise provocada pela pandemia da Covid-19 no sector, foram os turistas nacionais que mantiveram as estâncias turísticas em funcionamento.

“Queremos um Turismo global, Turismo para o mundo. A riqueza que a Natureza nos dá aqui na Província de Maputo é para toda a humanidade, mas o turista moçambicano deve ser tratado com carinho, respeito e sem desprezo”, realçou o Governador.

Empresário nacional investe mais de 40 milhões num hotel três estrelas

O empresário da província de Maputo, Simão Massango, investiu pouco mais de 40 milhões de meticais na construção de um empreendimento turístico de três estrelas, denominado Residencial Cajutes.

Construído de raiz com alto padrão, Cajutes resulta de um investimento de capitais moçambicanos, e contempla, entre vários serviços, apartamentos familiares, quartos simples e suites, restaurante, bar, piscina, sala de conferências.

Para o governador da província de Maputo, Júlio Parruque, a entrada em funcionamento daquele residencial acontece numa altura em Moçambique acaba de retomar a emissão de vistos de turismo, o que tem estado a dinamizar a retoma do sector.

“O acto que acabamos de presenciar, de inauguração do Residencial Kajutes é um sinal evidente de resiliência do sector privado da Província de Maputo, diante do abalo causado pela pandemia da Covid-19. É ainda mais um sinal de que o sector do turismo está de volta. Esta estância turística vem contribuir com mais 18 empregos de mão de obra local, na sua maioria jovens”, sublinhou.