SERNIC procura “amante” que mandou matar uma família inteira

POLÍTICA

O Serviço Nacional de Investigação Criminal (SERNIC) está a seguir uma pista que aponta para crime passional, no caso do assassinato de um casal e dois filhos menores, ocorrido há mais de uma semana, em Tchumene, Cidade da Matola, província de Maputo.

Esta linha de investigação surge depois da detenção do suposto executor, que terá confessado ter participado do crime, alegadamente a mando da ex-esposa e que ainda mantinha uma relação com o responsável da família assassinada.

O indiciado foi detido na província de Inhambane, para onde havia se refugiado logo após o cometimento do crime que chocou os munícipes da cidade da Matola.

Segundo conta Elino Panguana, porta-voz do SERNIC na Província de Maputo, o arguido é confesso e alega ter sido contactado pela ex-esposa do finado, que está em Marromeu, na província de Sofala.

“No acto da execução ele confessa que eram três e eram comandados por espíritos que davam instruções sobre o que ele devia fazer no momento do crime. No local dos factos eles usaram machado curto para poder dar os golpes às vítimas”, revelou Panguana, acrescentando que o principal indiciado era sobrinho da vítima.

Neste momento, segundo garantias dadas pelo porta-voz do SERNIC na província de Maputo, decorrem diligências, em coordenação com a PRM e outras delegações provinciais daquela unidade de investigação criminal com vista a neutralização da suposta mandante do crime.

“Ele conta ter sido mandatado pela ex-esposa da vítima, com o objectivo de vingar-se, matando toda a família, como aconteceu. O SERNIC já iniciou com as diligências e acreditamos que vamos poder chegar a Marromeu para podermos neutralizar a mandante e responder pelo que é acusada”, disse Elino.

Refira-se que a prisão dos três envolvidos no assassinato de quatro membros da mesma família, incluindo duas crianças, já foi legalizada pelo Juiz, aguardando pelo julgamento no Estabelecimento Penitenciário de Máxima Segurança, segundo apurou o Correio da Matola.

O crime foi cometido com recurso a instrumentos contundentes. Para lograrem os seus intentos, os presumíveis malfeitores invadiram as cercânias da Escola Comunitária onde o finado vivia com a sua família e trabalhava como vigilante. De seguida mataram todos os membros da família.