E “Refugiados”… é a palavra do ano em 2020

CULTURA

Pelo quarto ano consecutivo, a Plural Editores desencadeou uma campanha, onde através de votos pela internet, o público devia eleger a palavra do ano. E assim foi. Para 2020, dado o anúncio feito esta segunda-feira (04), a palavra é “Refugiados”.

De acordo com o site Palavra do ano, “Refugiados” mereceu destaque devido as centenas de milhares de pessoas que fogem ao horror e à perseguição provocados pelos ataques que se têm registado na província de Cabo Delgado.

Esta palavra, este ano, superou as seguintes: Ataques, Coronavírus, Desemprego, Distanciamento, Emergência, Isolamento, Mahindra, Máscara e Pandemia.

Recorde-se que em 2019 a palavra do ano foi “Reconcialiação”, muito a propósito da visita do Papa Francisco a Moçambique, em Setembro; em 2018 foi “Resiliência”, dado a capacidade dos moçambicanos não cederem às adversidades; “Tseke” foi a palavra de 2017 e em 2016, ano em que esta iniciativa começou, a palavra foi “Paz”

A Palavra do Ano é uma iniciativa da Plural Editores que tem como principal objectivo sublinhar a riqueza lexical e o dinamismo criativo da língua portuguesa, património vivo e precioso de todos os que nela se expressam, acentuando, assim, a importância das palavras e dos seus significados na produção individual e social dos sentidos com que vamos interpretando e construindo a própria vida.

A lista de palavras candidatas a Palavra do Ano é produto do trabalho permanente de observação e acompanhamento da realidade da língua portuguesa, levado a cabo pela Plural Editores, em Moçambique, através da análise de frequência e distribuição de uso das palavras e do relevo que elas alcançam, tanto nos meios de comunicação e redes sociais como no registo de consultas online e mobile dos dicionários da Porto Editora, tendo em consideração também as sugestões dos moçambicanos através do site www.palavradoano.co.mz.