Previsto aumento generalizado de preços nos próximos meses

ECONOMIA

Os moçambicanos devem preparar-se para apertar os cintos nos próximos meses devido a possível deterioração do nível de vida, caso se concretize a previsão de aumento contínuo e generalizado dos preços dos produtos a médio prazo.

O alerta foi dado, esta quarta-feira, pelo Comité de Política Monetária (CPMO) do Banco de Moçambique (BM), que aponta como principal causa a contínua depreciação do Metical, num ambiente de maior agravamento dos riscos e incertezas, com destaque para as consequências negativas da propagação acelerada da COVID-19 e a ocorrência de calamidades naturais, para além da instabilidade militar no Centro e Norte do país.

De acordo com o Banco de Moçambique, as perspectivas de curto e médio prazo apontam para um aumento expressivo da inflação, em linha com o comportamento que vem sendo registado nos últimos quatro meses.

A inflação anual aumentou pelo quarto mês consecutivo, passando de 2,98% em Setembro para 3,52% em Dezembro de 2020. A inflação subjacente, que exclui os preços dos bens e serviços administrados e das frutas e vegetais, aumentou, no mesmo período, de 2,92% para 5,10%, com perspectivas de agravamento nos próximos trimestres. Paralelamente, prevê-se uma aceleração da inflação geral no médio prazo, a traduzir os efeitos da repassagem da depreciação do Metical para os preços domésticos, do fim da vigência de parte das medidas de contenção de preços decretadas pelo Governo, no âmbito da COVID-19 e dos choques climáticos”, alertou o CPMO.

Por outro, o Banco de Moçambique continua a alertar para o crescente nível de endividamento público. É que desde o último CPMO, a dívida pública interna, excluindo contratos de mútuo e de locação e as responsabilidades em mora, aumentou de 182.325 milhões de meticais para 183.819 milhões de meticais.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *