Nyusi promete protecção aos jovens que abandonarem os grupos armados

POLÍTICA SOCIEDADE

O Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi, exortou, nesta quarta-feira (03), os jovens que se filiaram aos insurgentes na província de Cabo Delgado a regressarem as suas zonas de origem, tendo lhes assegurado protecção e enquadramento.

Falando no 52º aniversário da data consagrada aos heróis moçambicanos, Filipe Nyusi declarou que no presente ano a efeméride celebra-se num quadro de luta e confrangimentos.

“É mais um momento para celebrar aqueles que deram o melhor de si na resistência e na luta vitoriosa contra a dominação estrangeira. Os moçambicanos têm a plena consciência de que se celebra o dia 03 de Fevereiro num quadro de desafios e constrangimentos. Inspirados nos nossos heróis temos a convicção de os superar”, disse Nyusi.

O Estadista reconheceu que o combate ao terrorismo é uma das prioridades do seu Governo, tendo encorajado os jovens que se filiarem aos grupos militares na província de Cabo Delgado para regressarem as suas zonas de origem.

 “Chamamos a consciência dos nossos co – cidadãos, na sua maioria jovens dos 14 aos 20 anos, recrutados pelos terroristas a não hesitar quanto ao retorno as suas famílias como tem manifestado nos últimos tempos o interesse de se juntarem as suas comunidades. Sabemos que não tem coragem de o fazer com receios de retaliação. As estruturas locais e forças de defesa e segurancca todo farão para vocês receber em segurança e garantir o vosso enquadramento”

Por outro lado, o Presidente da República apelou, mais uma vez, a Junta Militar da Renamo para colocar um travão nos ataques na zona centro e juntar-se ao processo de desmilitarização, desarmamento e reintegração (DDR).

“Os ataques da Junta Militar da Renamo na zona centro constituem uma ameaça para o provo moçambicano. Os integrantes da Junta Militar da Renamo estão a ganhar consciência e coragem. Perceberam que a decisão mais acertada é se juntar ao DDR e convidamo-los a faze-lo. O Governo assumindo a sua responsabilidade junto com a direcção da Renamo, com apoio da comunidade internacional continuará a desarmar, desmobilizar e reintegrar convenientemente os guerrilheiros da Renamo conforme o acordado por via do diálogo”

No que respeia a Covid-19, o Estadista observou que a pandemia é verdadeiro flagelo sanitário sem precedentes e prometeu mais medidas restritivas para os próximos dias. “Depois das medidas que anunciamos no passado dia 13 de Janeiro, a tendência não mudou para a melhor, agravou-se. Regista-se mais casos de contaminações, mais hospitalizações e eleva-se o número de óbitos. O país está ver-se na continência de activar mais medidas restritivas para o bem do colectivo”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *