Bernardino Rafael admite erros na imposição das restrições provocadas pela covid-19

SOCIEDADE

O Comandante-Geral da Polícia da República de Moçambique (PRM), Bernardino Rafael, admitiu, nesta quinta-feira, 18 de Fevereiro, que os agentes da corporação têm cometido “erros” na imposição das medidas previstas no estado de calamidade pública em vigor no país face à covid-19.

Os primeiros dias do Estado de Calamidade decretado pelo Presidente República foram marcados pelo  excesso de zelo na aplicação das medidas contidas no estado de calamidade pública como causa dos erros cometidos pelos membros da PRM.

“Há erros, sim, nós reconhecemos isso. Errar é humano e quando se trabalha, cometem-se erros”, afirmou Bernardino Rafael sem especificar a que tipo de “erros” se refere para depois acrescentar que “Os erros são cometidos por colegas que agem com excesso de zelo, mas temos que particularizar esses casos e não fazer generalizações”,

Rafael avançou, por outro lado, que 719 pessoas foram detidas por desobediência, em todo o país, desde a entrada em vigor de novas restrições para a contenção da covid-19, há duas semanas, no âmbito do estado de calamidade pública em vigor no país desde o ano passado.

Refira-se que Moçambique contabiliza actualmente 561 mortes por covid-19 e 52.629 pessoas infectadas, 62% das quais são consideradas recuperadas, enquanto 279 estão ainda internadas, 77% na cidade de Maputo, capital do país.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *