Plataforma flutuante chega em 2022 e será a primeiro projecto a produzir gás natural

DESTAQUE ECONOMIA POLÍTICA SOCIEDADE

A plataforma flutuante, que por sinal será o primeiro projecto a produzir gás natural na Bacia do Rovuma chegará a Moçambique nos meados do próximo ano. A garantia foi dada pelo Ministro dos Recursos Minerais e Energia, Max Tonela.

“A construção da plataforma está a cerca de 90%, os trabalhos deverão ser concluídos em Dezembro para que no primeiro trimestre do próximo ano esteja já nas águas de Moçambique”, disse Tonela.

Tonela adiantou, por outro lado, que está encaminhado para que a operação arranque em Julho de 2022.

A plataforma flutuante integra o projecto do consórcio da Área 4 liderado pela Exxon Mobil e Eni. Este consórcio vai produzir e processar o gás para exportação diretamente no mar, ao largo da costa de Cabo Delgado.

Dos dados já tornados públicos, consta que a estrutura deverá produzir 3,4 milhões de toneladas por ano (mtpa) de gás natural liquefeito a partir das reservas de gás Coral Sul. Para 2024 está previsto o arranque da unidade de extracção e liquefacção em terra da Área 1, liderada pela Total, que aponta para uma produção de 13,12 mtpa.

Ainda de acordo com o Ministro dos Recursos Minerais e Energia, a Exxon Mobil não tomará uma decisão de investimento no projecto Mambapara para a extracção e liquefacção de gás natural,na bacia do Rovuma,nos próximos dois anos.

“Este projecto não vai seguir [em frente] já, mas estamos a acompanhar os desenvolvimentos. Acreditamos que, dificilmente, nos próximos dois anos possa ser tomada a decisão final de investimento. O mercado de petróleo teve, derivado da situação da Covid-19, perdas enormes e as empresas averbaram “perdas financeiras elevadíssimas, incluindo a Exxon”, disse Tonela.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *