Estados Unidos endurecem o tom contra terroristas em Cabo Delgado

DESTAQUE POLÍTICA

Depois de ter incluído os terroristas que há mais de três anos desestabilizam alguns distritos da província nortenha Cabo Delgado na sua black list, o Governo dos Estados Unidos voltou a endurecer o seu tom, destacando que mantém-se empenhado em trabalhar com as autoridade moçambicanas para combater o extremismo violento e garantir a segurança e prosperidade para todos os seus cidadãos e residentes.

Este é mais um sinal de que, agora, a conhecida como a nação mais poderosa do mundo está a seguir de perto o conflito de Cabo Delgado.

“O Governo dos Estados Unidos continua a acompanhar a situação e mantém-se empenhado em trabalhar com o Governo de Moçambique para combater o extremismo violento e garantir a segurança e prosperidade para todos os seus cidadãos e residentes”, lê-se na declaração da embaixada dos Estados Unidos da América em Maputo.

Na sua comunicação, o governo norte-americano, que desde a chegada de Joe Biden parece estar mais ligado à assuntos africanos, expressa solidariedade para com a comunidade de Palma e as Forças Armadas de Moçambique que trabalham para o restabelecimento da paz e da segurança.

“A Embaixada está profundamente preocupada com os contínuos ataques dos terroristas contra os residentes de Cabo Delgado, que sofreram tremendamente das tácticas brutais e indiscriminadas dos terroristas”, sublinha.

Refira-se que no princípio deste mês, as forças de operações especiais norte-americanas começaram a formar os fuzileiros navais moçambicanos para combater a ameaça terrorista em Cabo Delgado.