Renamo recorda grandes feitos de Afonso Dhlakama

DESTAQUE POLÍTICA

Assinalou-se, na segunda-feira, 03 de Maio, três anos após a morte de Afonso Dhlakama, líder carismático e um dos fundadores da Resistência Nacional de Moçambique (RENAMO). Para assinalar a efeméride, osmembros e simpatizantes da perdiz deslocaram-se à Mangunde, Posto Administrativo de Muchungue, no distrito de Chibabava, local onde pousaram os restos mortais de Dhlkama.

A cerimónia foi dirigida pelo presidente do maior partido da oposição, Ossufo Momade, e, além dos militantes do partido, contou com os familiares de Afonso Dhlakama.

Para Momade, Mangunde é um local de referência obrigatória e deve servir de inspiração para os membros de partido. “ Mangunde é casa de referência obrigatória para o partido se inspirar. Os  profundos agradecimentos a família Dlhakama  por aceitar acolher a cerimónia na sua terra natal porque Magunde é uma referência quando se fala da Renamo,

foi a terra que viu nascer o homem que conduziu a guerra não por dinheiro mas sim porque viu traído os sonhos da independência nacional e de ver os moçambicanos livres”.

O actual presidente da perdiz apelou à paz e formas pacíficas de convivência, tendo se mostrado solidário com a crise provocada pelos ataques dos insurgentes na província de Cabo Delgado. “chamamos atenção a todos que atentam a democracia e o bem-estar da população. Reiteramos a solidariedade para com as famílias vítimas de ataques de insurgentes em Cabo Delgado e da intitulada Junta Militar na zona centro do país. Condenamos veementemente acções bárbaras e desumanas que essas populações estão sujeitas.

Por outro lado, o líder do maior partido da oposição lembrou que a paz efectiva e verdadeira reconciliação nacional foram principais objectivos de lutas travadas pelo Dhlakama e o seu compromisso com o povo, que perante o período de caça ao homem instituído pelo regime decretou tréguas unilateralmente em 2017.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *