LAM rebate informações “falsas” sobre incidente com um dos seus aviões

DESTAQUE SOCIEDADE

Depois de algumas pessoas mal intencionadas terem feito circular uma informação aparentemente falsa sobre o incidente ocorrido com o Boing 737-700, voo TM 315, de Pemba para Maputo, no dia 9 de Junho último. Leia o esclarecimento baseado num parecer técnico.

A LAM – Linhas Aéreas de Moçambique, vem por este meio partilhar os detalhes técnicos sobre o incidente que ocorreu no voo TM 315, de Pemba para Maputo, no dia 9 de Junho último.

Uma descrição e uma fotografia circularam na imprensa nacional e internacional, bem como nas redes sociais, a dar conta de que um vidro da cabine de pilotagem do B737-700 se tinha “quebrado e saltado do local”.

O facto, na verdade ocorrido, foi que uma janela delaminou-se em voo. Não houve, em nenhum momento, quebra de janela da cabine de pilotagem e/ou circunstância em que a mesma se soltasse.

A tripulação consultou o manual sobre os passos recomendados para seguir em situação de danos nos vidros da cabine de pilotagem e, decidiu descer  para altitude de segurança e regressar ao aeroporto de partida, para melhor avaliar os danos no vidro.

Uma equipa de técnicos foi ao local, avaliou a condição do vidro e substituiu-o, de forma a que a aeronave ficou disponível umas horas depois e regressou a Maputo, na madrugada do dia seguinte, momento em que re-iniciou os voos programados.

O caso foi reportado ao IACM – Instituto de Aviação Civil de Moçambique e ao fabricante Boeing, conforme os requisitos legais. Dados analisados sustentam a interpretação preliminar feita pelos técnicos.

Segundo sustenta Alegria Salomão,  técnico de manutenção de aeronaves, o Boeing 737-700 tem 3 janelas de cada lado na cabine de pilotagem, denominadas “windshield” (para-brisas).

Objectivamente, o vidro delaminou, não quebrou, nem saltou. Não se registou despressurização neste voo.  O comandante decidiu, por precaução, descer imediatamente por prevenção e de acordo com as recomendações do manual.

A LAM mantém acima de tudo, a segurança de operação para os passageiros e  o seu conforto.

A companhia agradece a todos os passageiros, afectados pelo incidente do TM 315, pela compreensão demonstrada e apresenta sinceras desculpas pelos transtornos causados. Realçamos, no entanto que  fizemos de tudo para minimizar o impacto da ocorrência.