Renamo confia nos embaixadores para “libertar” pensões dos desmobilizados

POLÍTICA

O processo de Desmobilização e Integração dos antigos guerrilheiros da Resistencia Nacional de Moçambique (Renamo) continua em “banho maria”. Nos últimos cinco meses, os desmobilizados da Renamo não receberam as suas pensões. Para ultrapassar esse imbróglio, o líder do maior partido da oposição em Moçambique, Ossufo Momade, vai, na próxima quinta-feira, 18 de Agosto, reunir-se com os embaixadores acreditados no país.

Pelo progresso do processo de Desarmamento, Desmobilização e Reintegração (DDR), ao longo dos últimos dois anos do Acordo de Paz Definitiva, A Embaixada dos Estados Unidos da América, em Maputo, felicita o Governo e a Renamo pelos esforços envidados para a manutenção da paz em Moçambique. Entretanto, o partido da perdiz acusa o Executivo de não cumprir com as suas promessas.

“É uma lamentação que preocupa a nós porque quando estavam nas bases, tiveram algumas promessas. E, nós gostaríamos que essas promessas fossem materializadas, mas, na prática, não é o que está a acontecer hoje”, disse Ossufo Momade.

De lembrar que na primeira quinzena de Agosto em curso, mais de mil guerrilheiros da Renamo, desmobilizados no âmbito do processo de DDR, queixaram-se da falta de pagamento de pensões referente a seis meses.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *