Guebuza na BO para acompanhar a audição do filho

DESTAQUE POLÍTICA

Prossegue esta segunda – feira, 30 de Agosto, o julgamento das dívidas ocultas. Armando Ndambi Guebuza apresentou-se ao juiz Efigênio Baptista para contar a sua versão dos factos. Quem não quis perder a audição do filho é o antigo Presidente da República, Armando Emilio Guebuza, que se fez a tenda para acompanhar a audição.

Armando Ndambi Guebuza, ou simplesmente Junior como era tratado pelos seus comparsas, é considerado como umas figuras chaves do processo, uma vez, que segundo Teófilo Nhangumele, foi quem levou o projecto ao pai na altura Presidente da República.

“O meritíssimo perguntou-me se era essa a função de Júnior, mas eu não confirmo, porque mesmo no princípio quando eu mandei o e-mail para o Bruno, o Júnior não tinha nenhuma função. Quando eu encontrava uma situação, por vezes fazia recurso a ele… Quando eu tivesse desafios, algumas vezes em que eu não entendia certos níveis de morosidade eu falava com ele e se todas as vezes que eu falei com ele fez as coisas ou não sei”, disse Nhangumele durante o interrogatório.

Questionado pelo juiz Efigênio Batista, se esteve envolvido na concepção do projecto da Zona Econômica Exclusiva, Armando Ndambi Guebuza declarou que não esteve envolvido no projecto. “Não meritíssimo, não estive envolvido”.

Sobre os e-mails trocados com Teófilo Nhangumele e Jean Boustani, o réu declarou que não tem conhecimento dos mesmos.

Em actualização

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *