Nyusi fala da necessidade de internacionalizar as empresas moçambicanas

DESTAQUE ECONOMIA POLÍTICA

Arrancou nesta segunda-feira, 30 de Agosto, em Marracuene, província de Maputo, a 56ª edição do Feira Internacional de Maputo (FACIM. Na cerimônia de abertura, o Presidente da República, Filipe Jacinto Nyusi falou da necessidade de se internacionalizar as empresas nacionais.

Em 2020, o Governo ter decidido pela não realização do evento devido a pandemia da Covid-19. No presente ano, ainda no contexto da pandemia, Marracuene volta a ser palco da FACIM. Na abertura do evento, que será realizado num formato hibrido, o Chefe de Estado agradeceu aos participantes por aceitarem o desafio de organizar o evento num contexto adverso.

Nyusi instou aos empresários moçambicanos e as entidades do Estado para trabalharem para internacionalizar as suas empresas.  “Temos que garantir a internacionalização das empresas nacionais, para que a nossa marca e os nossos produtos sejam conhecidos noutros países. As embaixadas são chamadas a ter um papel mais interventivo nesse sentido para a dinamização dos negócios. ”, declarou o Chefe de Estado para depois acrescentar que “a corrupção “constitui um entrave que pode repelir investimentos estrangeiros”.

Sobre Cabo Delgado, o Presidente da República reiterou que o Governo está empenhado restabelecer a ordem e tranquilidade. “Queremos restaurar a paz através de acções concretas para acabar com o terrorismo.  Os resultados até aqui alcançados abrem boas perspectivas para o desenvolvimento dos negócios em Cabo Delgado e no país no geral”.

Refira-se que 250 expositores, entre os nacionais e estrangeiros, vão expor até o dia 05 de Setembro os seus produtos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *