10 milhões de meticais desviam Samurais da rota do Afrobasket

DESPORTO DESTAQUE

O desporto moçambicano vai de mal a pior. Depois dos Mambas brindarem os moçambicanos com duas exibições insipidas na dupla jornada do apuramento ao Mundial Qatar2022, nesta quinta-feira, 09 de Setembro, a Federação Moçambicana de Basquetebol tornou público que a selecção sênior feminina da modalidade da bola ao cesto não vai participar no Afrobasket por falta de 10 milhões de meticais.

Moçambique é uma das grandes potências do basquetebol africano no que aos femininos diz respeito. Entretanto, o Campeonato Africano da modalidade da bola ao cesto, que será disputado nos Camarões entre os dias 18 e 26 de Setembro, ficou despojado do talento e ousadia das jogadoras nacionais.

A Federação Moçambicana de Basquetebol (FMB), órgão que chancela a modalidade na perola do indico, fez uma curta metragem das dificuldades enfrentadas pelo combinado nacional durante a sua preparação para o Afrobasket. Roque Sebastião avançou que por razões de ordem financeira a selecção não seguiu viagem para Turquia onde devia ter cumprido um estágio pré – competitivo.

 “Tínhamos um plano que incluía um estágio pré – competitivo e uma série de outras actividades que culminaria com a nossa participação no Afrobasket. No entanto alguma actividade foi desenvolvida e houve muitos percalços sob ponto de vista de logística…  Não conseguimos fazer estágio pré – competitivo conforme tínhamos planificado assim com outras actividades programadas foram comprometidas por várias circunstancias de ordem logística e financeira assim como de outros meios como campos para treinos. Enfrentamos dificuldades ao longo desde período para encontrar um campo em condições disponíveis para a seleção treinar de acordo com a planificação que havia sido desenhada pela equipa técnica”, disse Roque Sebastião, presidente da FMB.

Cabisbaixo, Sebastião declarou que, a instituição que chancela o basquetebol em Moçambique, não teve outra alternativa se não desistir do Afrobasket, uma vez que não estavam criadas condições logísticas e financeiras para as Samurais seguirem para a capital camaronesa.

“Não conseguimos no fim ter respostas muitas concretas para podermos cabalmente cumprir com o que planificamos e as actividades que constavam do rol que planificamos. Assim sendo, no encontro da direcção onde foram analisados todos os factores desportivos logísticos, financeiros e outros aspectos importantes para melhor participação, a FMB decidiu unanimente e comunicou ao SED que Moçambique não vai participar no Afrobast. A vitória prepara-se e todas as condições para essa vitória não estavam bem preparadas”.

Por sua vez, o selecionador nacional, Nazir Salé, avançou que o combinado nacional não conseguiu cumprir com o plano inicialmente traçado incutir rodagem as atletas selecionadas.

Por aquilo que foi explanado não temos condições para participar. Tínhamos agendado uma certa planificação para atacar este campeonato. Tínhamos agendado cerca 111 treinos mas não foi possível por muitas questões. Para aquilo são exigências deste tipo de competição sem volume de treino e sem competição fica difícil. Temos que olhar com um foco diferente e manter os nossos objectivos para a próxima ocasião”.

Refira-se que Moçambique necessitava de cerca de 10 milhões de meticais para custear as despesas inerentes a participação da selecção nacional no Campeonato Africano de Basquetebol.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *