SEDE reúne-se com FMB e FMF para declarar “alerta laranja” no desporto moçambicano

DESPORTO DESTAQUE

Moçambique é, diga-se, um país que vive das glórias do passado no que ao desporto diz respeito. Actualmente reina um caos no desporto na perola do indico. Se por um lado, os Mambas continuam igual a si mesmos. Por outro, nesta quinta-feira, 09 de Setembro, os moçambicanos receberam um murro no estomago quando a Federação Moçambicana de Basquetebol tornou público que a selecção sênior feminina não vai fazer parte do Afrobasket por razões de ordem logística e financeira. Fazendo-se passar por bombeiro, o Secretario do Estado de Desporto, Carlos Gilberto Mendes, vai, nesta sexta-feira (10), reunir-se com os responsáveis do futebol e da modalidade da bola ao cesto para debelar o fogo que a cada dia que passa tem reduzido o desporto nacional a cinzas.

Um remate em 180 minutos foi o que os Mambas de Horácio Gonçalves conseguiram nas duas primeiras jornadas da fase do grupo D da qualificação ao Mundial Qatar-2022. As paupérrimas exibições do combinado nacional criaram uma onda de revolta no seio dos desportistas nacionais.

Para serenar os ânimos, Gilberto Mendes chamou para o seu gabinete de trabalho a direcção encabeçada por Feizal Sidat para discutir o actual estagio do futebol nacional. Neste encontro, além do balanço das duas jornadas que culminaram com um ponto e um remate em 180 minutos, Mendes   vai comunicar à entidade que chancela o futebol nacional que os Mambas vão realizar a partida diante dos Camarões numa casa emprestada, uma vez o Estádio Nacional de Zimpeto foi interditado pelos inspectores da CAF.

De acordo com informações na posse do Evidências, o Secretario do Estado do Desporto apenas tinha agendado reunião com a direcção da Federação Moçambicana de Futebol. Contudo, depois do anúncio da desistência do Afrobasket viu-se obrigado a marcar uma reunião de emergência com a Federação Moçambicana de Basquetebol.

Aliás, Roque Sebastião, presidente da FMB, adiantou que a decisão da desistência do Campeonato Africano já tinha sido comunicada a instituição liderada por Gilberto Mendes.

“Não conseguimos no fim ter respostas muitas concretas para podermos cabalmente cumprir com o que planificamos e as actividades que constavam do rol que planificamos. Assim sendo, no encontro da direcção onde foram analisados todos os factores desportivos logísticos, financeiros e outros aspectos importantes para melhor participação, a FMB decidiu unanimente e comunicou ao SED que Moçambique não vai participar no Afrobast. A vitória prepara-se e todas as condições para essa vitória não estavam bem preparadas”, disse Gonçalves

O selecionador nacional, Nazir Salé havia elaborado um plano de trabalho com vista a incutir rodagem as atletas que estão a quase dois anos sem competir, mas debalde o seu plano foi reduzido a cinzas, uma vez as Samurais não treinaram devido a indisponibilidade dos campos.

Dos 111 treinos inicialmente agendados, Salé viu-se obrigada a baixar para 21. Entretanto, segundo o que o Evidências junto de algumas atletas, o combinado não passou de 10 treinos.

Olhando para este cenário, a reunião entre o representante do Governo e a Federação Moçambicana Basquetebol vai apenas focar-se no futuro, uma vez que mesmo haja um milagre financeiro as Samurais não estão minimamente preparadas para competir no Afrobasket. Entretanto, há quem acredite que Filipe Nyusi, em clara crise de imagem, pode aparecer mais uma vez como salvador de uma modalidade desportiva nacional.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *