Mabunda denuncia que foi coagido na Procuradoria Geral da República

DESTAQUE POLÍTICA

Armando Ndambi Guebuza e Bruno Langa, por sinal amigos de longa data, foram os primeiros a denunciarem que foram ameaçados pelos procuradores quando foram prestar depoimentos na Procuradoria Geral da República (PGR). No 13º dia do julgamento do caso das dívidas ocultas, Fabião Mabunda tornou público que foi chantageado quando foi chamado a contar a sua versão dos factos na PGR.

Nesta segunda-feira, 13 de Setembro, na audição que ainda decorre na Penitenciaria de Máxima Segurança, vulgarmente conhecida por BO, Fabião Mabunda declarou que só conheceu Sidónio Sitoe na cadeia, mas no interrogatório na Procuradoria Geral da República disse que o conhecia porque foi coagido pelos procuradores.

Mabumba revelou que viu-se obrigado a confirmar o que viria a desmentir em tribunal porque o procurador ameaçou prender a sua esposa. “Qualquer homem que se preza, por tão malandro que seja, faz de tudo para proteger a sua família. Pode haver contradição entre o que falei na instrução e o que estou a dizer aqui por causa das ameaças de que fui vítima na PGR””, denunciou o réu.

Em representação do Ministério Público, Ana Sheila Marrengula contra – atacou, declarando que o conto do Fabião Mabunda não corresponde à verdade, uma vez que o mesmo se fez acompanhar por um advogado quando se fez a Procuradoria Geral da República.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *