ND insta professores a não permitirem que o seu papel de eterno educador seja trocado e banalizado

DESTAQUE POLÍTICA SOCIEDADE

Na sociedade moçambicana, o professor além de educar e ensinar, tem igualmente a função de dirigir os processos que vão determinar a vida de todos os cidadãos nos processos eleitorais e estatísticos. Nesta terça-feira, 12 de Outubro, comemorou-se, em todo território nacional, o Dia do Professor e Nova Democracia exige que os professores sejam devidamente reconhecidos e valorizados.

De acordo com Salomão Muchanga, líder da Nova Democracia, na sociedade moçambicana, o professor tem o papel fundamental de ensinar e educar como complemento da educação familiar às crianças e adultos, que vindos de contextos e educação diferenciada. “O professor, tem por missão a harmonização dos diferentes saberes que cada indivíduo detém, por sistemas únicos e harmoniosos do saber ser e do saber fazer”, declarou Muchanga.

No mundo moderno, além de educar e ensinar, o professor desempenha a função social de dirigir os processos que vão determinar a vida de todos os cidadãos nos processos eleitorais e estatísticos. Entretanto, a Nova Democracia insta os professores a não permitirem a banalização da classe.

“Você é o eterno educador, a tua obra fica na memória das pessoas, nas famílias e na sociedade. Não deixe que o seu papel de educador, de cimentador de boas práticas, de construtor de identidades, de formador da sociedade, de mestre, seja trocadas e banalizadas”, afirmou Muchanga para posteriormente convidar os professores uma nova realidade política em que o seu papel e desempenho serão devidamente reconhecidos e valorizados.

“Não se justifica a actual vida do professor nas comunidades, sem habitação condigna, sem meios de sobrevivência e que muitas vezes vê seus benefícios furtados, por este a quem ciclicamente tem apoiado para prejudicar a si mesmo, e ao resto das colectividades. A Nova Democracia nesta data do professor quer chamar a consciência de cada professor, de cada educador, de cada herói que é o professor, para que não se deixe ultrajar ao ser comprado para agir contra ti mesmo, a um preço de dois jantares”.

Por outro lado, o líder da Nova Democracia considera que os últimos cinco anos foram de sofrimento para a classe, suas famílias e para a sociedade em geral, tendo convidado os professores para que não conspirem contra classe nos processos eleitorais que se avizinham.

“Sabemos que se avizinha o período crucial em que o seu papel mais uma vez vai ser solicitado, para que junto a sua comunidade dirigir o processo que vai determinar a vida em cada distrito desta vez, de cada província e cidade e a Nova Democracia quer depositar em ti a confiança e todo amor e respeito a sua profissão, para que não sejas tu a maior vítima, a conspirar contra ti mesmo. Saudamos o 12 de Outubro dia do professor com euforia porque percebemos que o professor já entendeu o crime que é confiar o nosso país a estes senhores que não medem as mãos para prejudicar a sociedade em que o professor é parte integrante”.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *