UE desembolsa 25 milhões de euros para projecto de Desenvolvimento Local para a Consolidação da Paz em Moçambique

DESTAQUE POLÍTICA SOCIEDADE

A paz efectiva em Moçambique continua uma incógnita. O terrorismo em Cabo Delgado e a instabilidade política militar na zona centro continuam a tirar sono ao Governo e a comunidade internacional. Na quinta-feira, 14 de Outubro, com o apoio da União Europeia, A ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, Verónica Macamo, procedeu o lançamento do Desenvolvimento Local para a Consolidação da Paz em Moçambique (DELPAZ).

Para a efectivação do projecto em alusão, a União Europeia vai desembolsar cerca de 25 milhões de dólares e, por sua vez, a Áustria vai disponibilizar cerca de milhão de euros.

Com o objectivo de contribuir para a melhoria da governação local inclusa e recuperação econômica das comunidades rurais afetadas pela insegurança político-militar, o “DELPAZ”, que terá a duração de quatro anos, ou seja, entre 2021 e 2025, será implementado pelo Fundo das Nações Unidas para o Desenvolvimento de Capital (UNCDF), pela Agência Austríaca para o Desenvolvimento (ADA) e pela Agência Italiana de Cooperação para o Desenvolvimento (AICS).

De acordo com a ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, o projecto de Desenvolvimento Local para a Consolidação da Paz em Moçambique “é de grande complexidade e abrangência, uma vez que compreende vários aspectos da sociedade, nomeadamente, a construção e promoção da paz, a inclusão social, o empedramento da mulher, governação, o desenvolvimento local e de infra-estruturas”, declarou Veronica Macamo para depois adiantar que que o “DELPAZ” será um excelente instrumento para reduzir a  pobreza e vulnerabilidade nos distritos que serão abrangidos pelo projecto.

A União Europeia aproveitou a ocasião para reafirmar o seu compromisso de auxiliar Moçambique no processo de Paz e Reconciliação Nacional em Moçambique.

“O DELPAZ é parte desse amplo compromisso ao qual disponibilizámos 62 milhões de Euros. As intervenções do “DELPAZ” nas três províncias vão promover um desenvolvimento mais equitativo das comunidades afectadas pela insegurança e estimular a recuperação económica local, através de mais investimentos públicos, prestação de serviços e oportunidades para mulheres, jovens e indivíduos desmobilizados e suas famílias. Noutra vertente, o programa vai acompanhar as autoridades locais na melhoria da governação local por via da capacitação, inclusão e promoção do diálogo para a paz”, afirmou o embaixador da União Europeia, Antônio Sánchez-Benedito Gaspar.

Na qualidade de representante da Áustria, país que vai desembolsar um milhão de euros para efecticvado do “DELPAZ” , Hubert Neuwirth, era um homem visivelmente feliz pelo facto do seu país de origem confiança do Executivo moçambicano em particular o da província de Sofala.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *