Nova Democracia saúda FMF pelo reconhecimento ao eterno capitão dos Mambas

DESPORTO DESTAQUE

No regulado de Alberto Simango Júnior na Federação Moçambicana de Futebol foram contratados dois treinadores estrangeiros, Abel Xavier e Luís Gonçalves, mas nenhum deles conseguiu devolver os Mambas aos grandes palcos do futebol internacional.  Depois de quatro anos longe dos holofotes, em 2019, Feizal Sidat decidiu se candidatar para o terceiro mandato e contratou Horácio Gonçalves para rejuvencer os Mambas, contudo a ideia da renovação pariu decepção e clivagens no balneário da seleção nacional. A pedido dos jogadores, o antigo treinador do Costa do Sol foi demitido e Chiquinho Conde foi o escolhido para recuperar a esperança dos moçambicanos no que ao futebol diz respeito. O líder da Nova Democracia, Salomão Muchanga, saúda calorosamente o regresso do “filho pródigo” para o comando destino dos Mambas.

Sempre activo nos temas que fazem parte do dia a dia dos moçambicanos, o líder da Nova Democracia, um dos partidos mais activos no presente, mostrou-se radiante com escolha de um moçambicano para o cargo de seleccionador nacional de futebol. Contudo, entende Chiquinho Conde não terá um desafio simples, uma vez que passa a ter um peso e uma responsabilidade enorme em suas costas.

“Depois de vários treinadores estrangeiros, desta vez o país foi buscar o seu filho para, com a sua larga experiência como jogador e como treinador, transmitir e empoderar os Mambas, a Nossa Selecção, e para encontrar o talento disperso pelo país todo, para que finalmente comece a selecção nacional a gracejar o seu povo com vitórias que tem escasseado, nos últimos tempos”, disse Muchanga para depois acrescentar que para a ND a indicação de Chiquinho Conde para o cargo de seleccionador nacional “é um sinal de que o sector do futebol moçambicano se tocou e percebeu que há moçambicanos competentes e capazes e que é possível obter vitórias e executar planos para resultados”.

Muchanga lembra nostalgicamente que quando estava no auge da sua carreira Francisco Queirol Júnior pelo seu patriotismo sacrificou a titularidade no Sporting clube de Portugal e em outros clubes em Portugal e nos Estados Unidos para defender a seleção Nacional, tendo igualmente desejado as maiores felicidades do mundo ao novo ti

moneiro dos Mambas.“A Nova Democracia endereça-lhe as maiores felicitações por esta indicação e augura que utilize a sua total competência, para que Moçambique finalmente tenha resultados nesta área e damos-lhe os parabéns por seres tu, quem vai dirigir, porque temos um maior apreço pelo seu brio profissional. Sinta-se em casa, abrace a causa e deia tudo ao seu alcance, para que finalmente os resultados comecem a surgir, e de nossa parte, sempre estaremos aqui para lhe ouvir e apoiar neste projecto.

“Sentimo-nos gracejados e alegres por finalmente e quando já não havia mais dúvidas para a sua indicação ter sido em si, em que se depositou a confiança e por si, ser possível ter as respostas para todos os desafios dos atletas Moçambicanos da selecção nacional”, jubilou Muchanga.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *