Pagos favores a mais um “lambe-botas”

POLÍTICA
  • Nyusi promove membro do G15 para a maior universidade do país

O Presidente da República, Filipe Nyusi, nomeou, esta segunda-feira, Manuel Guilherme Júnior para o cargo de Reitor da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), um notável membro do grupo de 15 cidadãos (G15) que nos últimos anos tem a missão de promover as acções do governo e maldizer pelas redes sociais e órgãos de comunicação públicos e capturados todos aqueles que se mostrem críticos.

Evidências

Académico ligado ao direito e bastante articulado, Manuel Guilherme Júnior, nos últimos anos tem emprestado o seu saber ao grupo de choque escalado para limpar a imagem pálida de um governo incapaz de prover soluções para o povo moçambicano, naquela que é uma versão mais hardcore do famigerado G40.

Nas vésperas do arranque do julgamento do caso das dívidas ocultas, o partido Frelimo, através do Gabinete de comunicação e imagem, emitiu para um círculo restrito, uma orientação denominada “Julgamento das Dívidas ocultas: da politização a gestão da crise” a um grupo composto por 15 pessoas que deviam evitar a ligação do processo das dívidas ocultas ao partido e ao Presidente Nyusi.

No documento, lê-se que os membros de G15 deviam “Organizar, estruturar e traduzir toda a documentação existente oficial do processo de Londres e outra forma organizada para que se possa usar mensagens positivas a favor do partido Frelimo; Criar narrativas com a imprensa internacional, fazer um trabalho de influenciar as peças diárias, recomendar comentadores; criar um task force de intervenção rápida na rede social Facebook (defender nomes e partidão)”.

Guilherme Júnior era um dos nomes destacados na lista, mas prontificou-se a desmentir, embora as suas acções e aparições públicas nunca deixaram espaço para dúvidas.

“Circula nas redes sociais um documento com o título: Julgamento das dívidas ocultas: da politização à gestão de crise. Neste documento, consta o meu nome referido como um dos recursos humanos disponíveis para a implementação da estratégia nela concebida. Sobre este documento gostava de esclarecer que desconheço na sua íntegra, quer a sua proveniência, objectivos e circunstâncias em que o mesmo foi desenhado. Mas, em nenhum momento anui que o meu nome fosse colocado e muito menos que estivesse em condições de cumprir a agenda do documento em causa”, destacou.

Manuel Guilherme Júnior é Doutarado em Direito pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM), Mestre e Pós-Graduado em Direito Comercial Internacional, pela Faculdade de Direito da Universidade de Macau (2008); Licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da UEM (2005). Foi Director da Faculdade de Ciências Sociais e Humanidades da Universidade Zambeze na Beira e Coordenador do Curso de Direito na Faculdade de Economia e Gestão da Universidade Católica na Beira. É docente e investigador na Faculdade de Direito da UEM e Director do Centro de Estudos sobre o Direito da Integração Regional da UEM. Publicou vários livros e artigos científicos dentro e fora do país.