IFTM forma jovens de olho no sector industrial

ECONOMIA

Cerca de 130 adolescentes da província de Tete, zona centro de Moçambique, estão a ser formados pelo Instituto de Formação Tecnológica de Moçambique (IFTM) nas áreas de Mecânica e Electricidade Industrial.

 

Trata-se de uma iniciativa cuja implementação é da responsabilidade da ICRO Mozambique, uma das empresas da ICRO Group, e que visa fundamentalmente assegurar uma formação de qualidade aos formandos, o que poderá culminar com a inserção destes no mercado laboral.

 

Outrossim, por meio do Instituto de Formação Tecnológica de Moçambique (IFTM), a ICRO Group, que actua há 67 anos na gestão de activos físicos industriais e implantação de programas de manutenção preditiva, pretende elevar o índice educacional dos jovens moçambicanos e fortalecer a geração de emprego e renda.

 

“Quando chegamos aqui em Moçambique, há sensivelmente 10 anos, isto é, em 2012, notamos um déficit muito grande em termos de capacitação técnica dos profissionais, dado que o nosso portfólio exige uma aptidão mais elevada que o normal, pois são técnicas avançadas na parte de Engenharia de Manutenção. Diante dessa percepção, resolvemos criar a escola, e hoje temos a oportunidade de sermos formadores de pessoas qualificadas para o sector industrial”, revelou Carlos Fávaro, presidente da Icro Group.

 

O executivo também afirma que o IFTM prima pela qualidade do ensino para que os alunos formados pela instituição propiciem resultados efetivos nas empresas em que trabalharem, baseados nas competências técnicas e comportamentais adquiridas durante o programa de formação.

 

“O que nos motiva é evoluir como uma escola com estrutura esmerada, de sala, de ambiente, de atendimento e acolhimento. Mais do que um curso técnico, uma escola em que pudéssemos formar cidadãos com autoestima elevada, com o entendimento de que podem realizar grandes conquistas”, sublinhou Carlos Fávaro.

 

Entretanto, um dado não menos importante, e que faz diferença neste projecto da Icro Group, é a introdução da componente Plano de Carreira através do programa “Avança Moçambique”, o qual visa fundamentalmente evitar a rotatividade profissional nas empresas, ou seja, contribuir para a manutenção e engrandecimento do quadro de profissionais, implantando uma gestão de competências com base no desenvolvimento de habilidades técnicas e comportamentais, além de conscientizar os profissionais sobre a importância de se investir em um plano de carreira.

 

Por sua vez, o Coordenador do Instituto de Formação Tecnológica de Moçambique, Aleixo Portimão Júnior, deu a conhecer que a instituição conta com um padrão de ensino diferenciado, virado para responder às exigências do sector industrial.

 

”Tem se verificado nos últimos dias uma evolução considerável no sector industrial e essa evolução precisa constantemente de técnicos qualificados, e o IFTM veio contribuir para esse sentido”, frisou Aleixo Júnior.

 

Para Oliveira Augusto Madeira, estudante do curso de Mecânica Industrial no IFTM, o instituto veio como solução ideal para sua formação profissional.

 

“Pretendo continuar com a minha formação e com ajuda do Instituto irei consolidar a minha carreira profissional. Quero crescer profissionalmente e para isso é preciso ter um plano de carreira que só o IFTM oferece orientação para isso”, revelou Augusto Madeira.

 

Rosalina Kimeza, também estudante do curso de Electricidade Industrial, tem como IFTM referência para sua formação.

 

“Estou a fazer um curso menos concorrido pelas mulheres, mas isso não me assusta. Com a formação que estou a ter aqui, me sinto preparada para entrar neste mercado cada vez mais agressivo. Meu maior sonho é crescer profissionalmente e continuar a desenvolver as minhas habilidades profissionais. Creio que estou no rumo certo”, disse Rosalina.

Facebook Comments