ENH e SAIPEM assinam memorando para monetização de gás doméstico

DESTAQUE ECONOMIA

A Empresa Nacional de Hidrocarbonetos (ENH), empresa nacional de petróleo e gás de Moçambique, detida em 100% pelo Estado e que actua como representante comercial do Estado nos projectos de hidrocarbonetos assinou, recentemente, na capital moçambicana, Maputo, com a multinacional italiana SAIPEM, uma plataforma tecnológica e de engenharia avançada para o projeto, construção e operação de infraestruturas e plantas complexas, seguras e sustentáveis, um Memorando de Entendimento (MdE) que formaliza a sua cooperação para a monetização do gás doméstico provindo do projecto Mozambique LNG.

Com o Memorando de Entendimento, assinado pelo Presidente do Conselho de Administração da ENH, Estêvão Pale, e pelo representante da SAIPEM, as duas partes, irão, numa primeira fase, realizar um Estudo de Viabilidade, com o objectivo de aferir a sustentabilidade financeira, económica e ambiental do projecto, sendo que os resultados do Estudo, previstos para Novembro desde ano, serão submetidos ao Ministério de Recursos Minerais e Energia (MIREME).

Falando à margem da assinatura do memorando, para além de saudar a assinatura do acordo, o ministro dos Recursos Minerais e Energia observou que o compromisso rubricado permitirá a realização de um estudo para adicionar valor ao gás natural no País, através da instalação de uma fábrica de metanol.

“Esperamos que o estudo traga resultados que respondam ao ensejo do Governo de ver o nosso gás a ser usado para o desenvolvimento da indústria nacional”, disse Zacarias, reiterando a abertura do Governo em apoiar no que for necessário para a materialização do objectivo preconizado.

Por outro lado, com esse projecto o Executivo espera que haja transferência de conhecimento; desenvolvimento do conteúdo local, por via de criação de empregos e oportunidades de negócios para fornecedores locais; apoio às autoridades governamentais na implementação de projectos de dimensão regional, e o crescimento da economia nacional.

De referir que, a provar-se a sua viabilidade, o projecto será desenvolvido com base no gás doméstico a ser disponibilizado pelo empreendimento Mozambique LNG, da Área 1, da Bacia do Rovuma. Ao todo, o Mozambique LNG vai disponibilizar 400 milhões de pés cúbicos padrão de gás natural por dia (mmscfd) para o desenvolvimento de projectos de industrialização do País.

Leave a Reply

Your email address will not be published.