FMF jura de pés juntos que não recebeu 400 mil dólares pelo apuramento para os quartos – de – final

DESPORTO DESTAQUE

A presença dos jogadores nacionais no desafio frente aos malgaxes ainda é uma incógnita, visto que estão de costas voltadas com a Federação Moçambicana de Futebol devido ao prémio de qualificação aos quartos-de-final. Os jogadores exigem 150 mil meticais por tem informações de que a CAF disponibilizou 400 mil dólares para as oitos formações que chegaram aos “quartos”, mas a FMF jura de pés juntos que os 400 mil dólares ainda não foram canalizados nas suas contas e comprometeu-se a incrementar o prêmio para 75 mil meticais, sendo que já foram canalizados 50 mil meticais para as contas dos atletas.

Engane-se quem pensava que o apuramento dos Mambas, pela primeira vez, para os quartos – de – final de uma prova chancelada pela Confederação Africana de Futebol (CAF) seria um momento de festa e, sobretudo, de viragem no desporto nacional.

Os pupilos de Chiquinho Conde estão de costas voltadas com a “Casa do Futebol” devido ao prémio de qualificação aos quartos-de-final. Os jogadores exigem 150 mil meticais ao invés dos 40 mil meticais previamente prometidos pela instituição liderada por Feizal Sidat.

Os atletas, representados por Isac Carvalho e Telinho, por sinal capitães do combinado nacional, apoiando-se a uma suposta premiação de 400 mil dólares para as selecções que carimbaram o passaporte para os quartos-de-final, informaram aos responsáveis da instituição que chancela o futebol na perola do indico que queriam 200 mil meticais ou na pior das hipóteses 150 mil meticais porque já não fazia sentido receber 40 mil meticais depois terem entrado na história do futebol moçambicano.

A FMF jurou de pês juntos que não recebeu 400 mil dólares pela passagem aos quartos-de-final, mas cedeu as exigências dos capitães e incrementou o valor para 75 mil meticais. Entretanto, a proposta da instituição presidida por Feizal Sidat não seduziu os jogadores que mantêm a ameaçara de não comparecer ao jogo diante do Madagáscar.

O presidente da Federação Moçambicana de Futebol, em entrevista ao Portal Olho Clínico, dissipou todas as dúvidas em torno de uma possível falta de comparência dos Mambas nos quartos-de-final, tendo garantido que “vamos a jogo com o objectivo único de continuar a orgulhar o nosso País”, disse.

Ainda no rol das justificações, Sidat apontou que os valores previamente acordados foram pagos na segunda-feira (23), uma vez não se podia processar o pagamento no fim-de-semana. Aliás, a fonte referiu que houve incremento de 35 mil meticais no valor acordado antes do início do CHAN em caso de um possível apuramento para os quartos-de-final.

Houve um incremento de 35 mil meticais, para 75 mil e neste momento posso garantir que já foram pagos 50 mil meticais do prémio de entrada aos quadros-de-final”, declarou Sidat para depois adiantar que os restantes 25 mil meticais serão pagos assim que a FMF tiver disponibilidade financeira.

Refira-se que, para além de incremento de 35 mil meticais, os jogadores receberam mais 13 mil meticais de per diem, uma vez que ainda vão permanecer mais dias em solo argelino.

Facebook Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *