ACLIN pede aumento de pensão por não ser suficiente para comprar uma cesta básica

DESTAQUE POLÍTICA

O secretário-geral da Associação dos combatentes de Libertação de Moçambique (ACLIN), Fernando Faustino disse hoje, 24 de Março, durante sua intervenção na II Sessão ordinária do partido Frelimo, na cidade de Matola pede que o partido aumente o valor da pensão de sobrevivência porque esta não cobre o pagamento da cesta básica.

“Pedimos encarecidamente ao camarada presidente que a situação das pensões dos nossos combatentes seja revista pois oque recebemos é tão pouco que não chega a pagar a cesta básica”

Após aplausos pelas suas palavras o representante da ACLIN avançou que a organização que representa está junto do partido Frelimo focada

“Camaradas membros do comité central, a prioridade da nossa agenda partidária actual deve estar virada para o nosso maior desafio que é de garantir vitória nas próximas eleições autárquicas em Outubro” avançou.

De acordo com a OTM-Central Sindical, a cesta básica em Moçambique custa em torno de 19 mil meticais, enquanto o salário mínimo é de apenas 8758,00MT.

Curioso é facto de o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, Celso Correia ter dito no passado dia 15 de Março, em Roma, aquando do encontro que manteve com o diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) que 90% dos moçambicanos tem três refeições por dia. Afinal de contas parte dos camaradas também não dispõem das benditas três refeições ao dia.

Facebook Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *