Site icon

Momade “fintou” VM no Congresso, mas poderá ser o seu maior rival nas eleições gerais

Por não reunir os requisitos exigidos para ser candidato à presidência da Renamo, Venâncio Mondlane foi excluído da corrida e perdeu a oportunidade de ombrear com Ossufo Momade. No entanto, parece que o duelo adiado no Congresso poderá mesmo acontecer nas eleições gerais, uma vez que Mondlane pondera concorrer encabeçado a candidatura dos partidos extraparlamentares e organizações da sociedade civil.

Duarte Sitoe

Venâncio Mondlane foi o grande ausente do Congresso da Renamo que decorreu entre 15 e 16 de Maio em curso, em Alto Mólucué, província da Zambézia. Mondlane tudo fez para estar na reunião magna, mas, debalde, as suas aspirações redundaram a fracasso.

A luta do cabeça – de – lista da Renamo nas VII Eleições Autárquicas na Cidade de Maputo inicia em Fevereiro do corrente ano quando, inesperadamente, José Manteigas homologou Ossufo Momade como candidato presidencial antes da realização do Congresso, sendo que antes o líder da perdiz exonerou o grosso dos delegados provinciais. Aliás, Mondlane não escapou da “vassourada”, uma vez que foi exonerado do cargo de assessor do líder da perdiz e de relator da bancada na Assembleia da República.

Com o objectivo de repor a legalidade e, sobretudo, obrigar Momade a cumprir com os estatutos do partido, Mondlane submeteu duas providencias cautelares. A primeira visava obrigar a liderança do partido a marcar a data do Congresso e na segunda pretendia anular todos actos administrativos estruturantes levados a acabo por Ossufo Momade depois do dia 17 de Janeiro.

Em Março do ano em curso, o Tribunal Judicial da Cidade de Maputo julgou improcedente a providencia cautelar que tinha como objectivo anular as exonerações e novas nomeações de delegados distritais e provinciais.

Insatisfeito com a decisão, Mondlane soltou submeteu mais um recurso no mesmo Tribunal. Entretanto, ao contrário da primeira, na segunda VM viu o Tribunal a decidir ao seu favor, ou seja, julgou improcedente o que, de certa forma, obrigou o líder do partido a marcar a data do Congresso.

Quando parecia que a marcação da data do Congresso era a primeira de muitas vitórias de Venâncio Mondlane contra Ossufo Momade, a Comissão Política da Renamo aprovou o perfil do candidato que mais tarde viria a ser homologado pelo Conselho Nacional.

O perfil aprovado foi um duro golpe para as aspirações de VM, daí que este submeteu uma providencia acautelar ao Tribunal Judicial da Cidade de Maputo sob a alegação de que o mesmo pontapeou os estatutos da Renamo. Contudo, os argumentos de Mondlane foram parcos para convencer o Tribunal a “rasgar” aquele documento.

Outrossim, o cabeça – de – lista da perdiz nas VII Autárquicas viu o Tribunal a julgar procedente o recurso sobre a providencia cautelar dos actos estruturantes levados a cabo por Ossufo Momade depois do dia 17 de Janeiro, sendo que a decisão vigorava até a realização do Congresso.

Momade fintou VM no Congresso, mas poderá ser o seu carrasco nas eleições gerais

Tudo indicava que Venâncio Mondlane ia participar no Congresso na qualidade de delegado distrital e provincial, mas, estranhamente, viu o delegado da Conferencia provincial ao nível da Cidade de Maputo a anular a sua eleição, alegando que o mesmo não podia ser candidato a liderança do partido e ao mesmo tempo delegado.

Relativamente a decisão de Samuel Manjate, VM submeteu uma nota de repudio ao Conselho Jurisdicional da Renamo que, por sua vez, preferiu assobiar para o lado, ou seja, não chegou de se pronunciar sobre o assunto.

Depois das derrotas nos Tribunais da Cidade de Maputo, com o objectivo de participar no Congresso, Venâncio Mondlane submeteu uma providencia cautelar para anular a decisão de Manjate, tendo aquele Tribunal julgado improcedente o expediente.

Inexplicavelmente, mesmo com a ordem do Tribunal, a Renamo não permitiu a entrada de Mondlane na reunião magna, sendo que não foram destacados agentes da lei e ordem para obrigar o maior partido da oposição em Moçambique a cumprir a ordem judicial.

Gorada a possibilidade participar do Congresso que apelidou do antro da ditadura, Venâncio Mondlane ficou resignado, tendo, na companhia, de jovens organizado uma marcha de repúdio.

E foi à margem da marcha pacifica que Venâncio Mondlane revelou que recebeu convites para encabeçar uma candidatura de partidos extraparlamentares e organizações da sociedade civil, tendo adiantado que só vai avançar depois de ouvir os seus conselheiros.

Tudo indica que Ossufo Momade conseguiu fintar Venâncio Mondlane nas eleições internas, porém, aquele que tanto combateu a nível interno poderá ser o seu maior adversário nas eleições gerais.

Exit mobile version