Site icon

1402 alunos foram vítimas de assédio sexual nos últimos 12 meses em Maputo

De acordo com o mais recente estudo apresentado pelo Movimento Educação Para Todos (MEPT) sobre a incidência do assédio sexual nas escolas secundárias da cidade e província de Maputo nos últimos 12 meses constatou-se que 1402 alunos já foram vítimas ou já presenciaram um acto de assédio sexual a sua/seu colega em situações em alguém lhe teria tocado na escola ou a partir da escola de forma sexual em partes íntimas do seu corpo sem permissão.

A distribuição percentual dos alunos que respondeu já ter vivido assédio sexual nas escolas dos distritos abaixo mostra que os casos mais agudos que ocorreram nos últimos 12 meses aconteceram em escolas dos distritos de KaMaxaquene, KaMpfumo, ambos com 57,0% de casos no total dos seus alunos.

Em termos relativos, nas duas zonas em estudo os alunos das escolas secundárias da Província de Maputo tiveram 636 casos e Cidade de Maputo com 554 respectivamente.

Em relação à medidas punitivas aos infractores por conta destes casos somente 51 do total de 90 é que foram conhecidos e infelizmente 22 das denúncias não foram dadas a saber quais foi o tratamento dado para os casos promotores, como se pode constatar o assunto não está sendo levado com a necessária seriedade.

Casos há em que professores se envolveram com alunas para um relacionamento ou sexo em troca de dinheiro, lanches, boas notas, pagamento de taxas escolares, e até mesmo por promessas de emprego. São cerca de 260 casos perpetrados por professores, 26 por outros funcionários diferentes de professores, 69 por alunos da mesma escola, 18 pelos amigos dos professores, 7 casos foram próprios/as a incentivar o relacionamento ou sexo na escola, isto de acordo com os dados recolhidos no inquerida do MEPT no período em análise.

Nas escolas da Cidade de Matola foram denunciados 20 promotores e somente dois foram punidos, os restantes 18 nada se sabe sobre eles visto que as entidades competentes não tomaram medidas. No entanto, na cidade de Maputo 77 alunas dizem terem sido directamente assediadas pelos professores, 855 pelos colegas de sala e 43 cometidos pelos amigos dos professores, oque revela gravidade e necessidade de intervenção urgente no assunto.   

Exit mobile version