Site icon

Eleitores na Matola “A” aderem ao “votou-sentou” e polícia fica em alerta

Eleitores da Matola “A”, concretamente no  quarteirão  46, na autarquia com o mesmo nome, na província de Maputo, estão testando os nervos da presidente da mesa 0205409-02 por se recusarem a abandonar o local após o voto. Em conversa com a presidente da mesa esta fez saber que já teria alertado aos agentes da polícia de protecção presentes no local.

Após estes terem votado mostraram-se felizes e esperançosos por algum tipo de mudança. “Estamos aqui sentados a conversar e não estamos a fazer barulho nem nada”, disse Cláudio Mambo, dando a entender que a Matola vai aderir ao apelo da oposição de votar e ficar nas imediações e controlar as movimentações para evitar roubo de voto..

Outra que não perdeu a oportunidade de ver as coisas de perto é a senhora Avelina Matsinhe que disse não entender a razão da preocupação e vontade de lhes mandar embora.

“Meu filho, aqui é lugar público. É na rua e não sei se é proibido ficar na rua.  Estão a nos mandar embora porquê? Querem ficar a fazer o quê que não podemos ver?”, questiona a eleitora.

Curiosamente, a polícia terá a pedido da presidente da mesa de voto orientado os “eleitores teimosos” para que pelo menos atravessassem a estrada e ficassem noutra margem uma vez que o posto de votação está localizado entre residências, tornando-se impossível dar um espaço de 300 metros mínimos.

No entanto, ao questionar a presidente da mesa se tinha reportado o caso a resposta foi que “nós já estamos a tratar do assunto localmente” e que não tinha tido necessidade de reportar a CNE até o momento. 

De referir a ideia de se ter que votar e permanecer no local resulta da sugestão dada pelos partidos parlamentares da oposição pela desconfiança existente para com o partido no poder.  

Exit mobile version