Site icon

Partidos jogam sujo para garantir vitória nas autárquicas

 

Faz hoje (03), uma semana, desde o arranque da campanha eleitoral para as sextas eleições autárquicas de 11 de Outubro, onde mais de 11.500 candidatos de 11 partidos, três coligações e oito grupos de cidadãos tentam convencer os 8,7 milhões de eleitores inscritos para votar já na próxima semana. Nas cidades de Maputo e Matola, o destaque vai para Frelimo, Renamo e Nova Democracia (ND), a apostar no contacto interpessoal nesta caça ao voto. Diferentemente da região Sul, no Centro e Norte do país, a primeira semana da campanha foi caracterizada por um ambiente pouco pacífico, com a Renamo e MDM a denunciar detenções e ameaças de morte que os seus membros vem sofrendo.

As caravanas confirmam a projecção da Nova Democracia, partido de Salomão Muchanga, que mostra grande presença em Maputo, Matola, Nampula, Gaza e Gurué (na Zambézia). É a continuidade de um parto num contexto político dominado pela Frelimo e Renamo, e com o MDM a perder visibilidade, quando comparado com a sua projecção nas eleições anteriores lideradas pelo seu primeiro presidente, Daviz Simango. No entanto, na Beira, o MDM continua em destaque, com o seu edil, Albano Carige, a liderar a visibilidade.

Em termos de projectos de governação, há pouca novidade nas promessas dos políticos que prometem velhas soluções para os problemas já conhecidos, como são os casos de saneamento do meio, uma governação inclusiva, melhoria dos mercados, formalização dos serviços informais, transporte, entre outras soluções para os crónicos problemas das principais capitais do País.

Parruque e Muchanga prometem valas de drenagem na Matola

Nalgumas autarquias, as promessas coincidiam, como se verificou na Matola, onde os candidatos prometem valas de drenagem para acabar com sofrimento dos munícipes, mostrando-se cientes do principal problema de maior município do País.

O cabeça – de – lista da Frelimo na Cidade da Matola, Júlio Parruque, viu de perto o sofrimento dos munícipes dos bairros da Liberdade e Fomento. Para mudar a situação, Parruque promete concluir as obras de sistemas de drenagem para remediar o sofrimento da população durante a época chuvosa.

Durante a caça ao voto naqueles dois bairros, Júlio Parruque enalteceu as iniciativas do elenco de Calisto Cossa na gestão da água da chuva, mas reconheceu que ainda há muito por se fazer para colocar um fim no sofrimento da população nos dias de chuva.

“O tema da drenagem e dos sistemas de gestão de águas pluviais está no topo das nossas prioridades; é o segundo vértice do nosso compromisso para com os munícipes matolenses. O nosso grande propósito para os próximos cinco anos de governação é investir fortemente na construção de sistema de gestão de águas fluviais, mas também identificar áreas que sirvam de bacias de retenção de água”.

O cabeça – de – lista da Renamo, António Muchanga, depois de prometer morgues nos bairros mais recônditos da Cidade da Matola, referiu que em caso da lista por si liderada ser eleita vai apostar na construção de valas de drenagem que possam aliviar os bairros do Município da Matola na época chuvosa.

O segundo candidato mais votado nas eleições autárquicas de 2018 promete profundas mudanças na actual imagem da Cidade da Matola. António Muchanga assegura que a edilidade vai se envolver para melhorar as condições de trabalho, educação e dos funcionários de saúde que foram enganados com implementação da Tabela Salarial Única.

“Vocês não mais serão obrigados a pagar dinheiro de guarda ou para construção de muros de vedação, pois estes são de responsabilidade do município. Queremos motivar os nossos jovens médicos, polícias, professores que foram enganados com a Tabela Salarial Única”, referiu.

Ainda no rol das promessas, Muchanga afirmou que envolver a Polícia Municipal nas patrulhas com vista a reforçar a Polícia da República de Moçambique no combate à criminalidade.

Nova Democracia promete maior inclusão

Eunice Andrade, cabeça de lista pela Nova Democracia (ND) na cidade de Maputo, tem apostado no contacto com os potenciais eleitores. Nas suas passeatas pelas artérias da capital, tem se mostrado preocupada com a juventude, que entende ser o grupo mais marginalizado, principalmente no que diz respeito a partilha de oportunidades.

“Por isso, queremos os jovens connosco, as mulheres connosco, por isso estamos aqui no Compone [mercado], a primeira paragem que tivemos. Queremos estar em contacto com os nossos munícipes. Tudo o que temos no nosso manifesto é aquilo que eles disseram que querem”, frisou.

E o que querem os munícipes, segundo a Nova Democracia? “É o saneamento do meio e um transporte digno”.

“Queremos que os munícipes governem porque esta é uma candidatura do povo, é uma candidatura da juventude. Queremos, por isso, jovens e mulheres connosco”, referiu.

Entre as promessas da ND para cidade de Maputo, consta ainda a melhoria dos mercados, o saneamento, as casas de banhos públicas. No entanto, não deixa de destacar que “um dos principais pilares que a ND traz no seu manifesto é o saneamento do meio digno para os munícipes da cidade de Maputo e transparência na sua governação’’.

A caravana da ND cruzou-se, por duas vezes, com a do primeiro e maior partido da oposição (Renamo), não tendo se registado casos de agitação, mas um verdadeiro momento de festa entre as duas formações políticas

MDM continua com maior projecção na Beira

O cabeça-de-lista do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), Albano Carige, promete, para além de dar continuidade aos seus projectos de governação, financiar formação de jovens, reabilitar a escola local e a unidade sanitária do bairro 21.

Na Matola, Augusto Pelembe, cabeça-de-lista do MDM, visitou diferentes bairros, mas foi no bairro T3, onde interagiu com vendedores, formais e informais, motoristas e cobradores de transporte de passageiros e pediu voto, dizendo ser ele o caminho para a mudança de tudo aquilo que considera errado.

Pelembe apontou, igualmente, a gestão do lixo e as inundações urbanas como grandes problemas da Matola. Mas, porque estava no mercado de T3, Pelembe apresentou uma promessa que, segundo ele, foi bem vista pelos cidadãos.

“Há problema de lixo, saneamento do meio e nós queremos acabar com isso. As pessoas pagam taxas de lixo, mas ninguém recolhe, isto é um atentado à saúde pública. Há uma necessidade de colocar contentores de lixo, a cada 500 metros, para que as pessoas tenham opções.”

Pelembe promete ainda a construção de um terminal rodoviário, tendo em conta que T3 liga vários bairros do município em alusão. O terminal poderá servir também para dinamizar a economia nos mercados, para além da comodidade dos passageiros e motoristas.

Incidências da campanha: Delegado da Renamo detido em Morrumbala

De acordo com o boletim eleitoral do CIP, um delegado da Renamo em Morrumbala, Zambézia, foi detido na última sexta-feira (29) depois de protestar que pelo menos 120 nomes de membros da Renamo foram substituídos nos cadernos eleitorais por outras pessoas. Artur Singano Lampião é representante da Renamo no bairro de Majoão. A Polícia acusa-o de mobilizar os membros da Renamo para verificarem o seu registo, mesmo depois da data oficial para o fazer.

A Renamo obteve uma cópia actualizada do caderno eleitoral e verificou que os seus membros estavam na lista. Mas, nesse processo, descobriu que 120 membros seus foram retirados dos cadernos eleitorais. A Renamo forneceu uma lista das pessoas removidas e os nomes dos seus substitutos.

Abaixo está um excerto da lista apresentada pela Renamo dos nomes substituídos nos cadernos eleitorais das assembleias de voto da Escola Primária 25 de junho (nome original, à esquerda, e nome de substituição, à direita) e abaixo estão os cartões de eleitor de duas pessoas. Na primeira linha do cartão, entre parênteses, está o número do posto de recenseamento (a escola), depois o número do livro de recenseamento (01), e depois o número do cartão.

Entre as incidências de destaque, consta ainda que o partido Frelimo, na autarquia da Matola, usa os meios do Estado para a campanha eleitoral. Segundo escreve o CIP Eleições, no sábado, 30 de Setembro, no mercado de Malhampsene, testemunhou o uso de viaturas do Estado pela Frelimo. Trata-se de dois autocarros da Empresa Municipal de Transportes da Matola (EMTP) com as chapas de inscrição ALG 410 MC e ALG 451 MC e de uma viatura de marca Toyota Coaster pertecente à Empresa Portos da Matola, com a chapa de inscrição AJF 455 MC. As viaturas e os respectivos motoristas são do Estado e no interior das mesmas encontravam-se membros e simpatizantes do Partido Frelimo na cidade da Matola.

“Ainda no local, testemunhámos duas viaturas de alta cilindrada de marca Nissan, com a matrícula ocultada com a escrita Frelimo. A outra viatura de marca Toyota Hilux tinha uma chapa de matrícula escrita manualmente com a inscrição de MLK 0 – 79, segundo atestam as imagens”, lê-se na publicação.

Exit mobile version