SADC vai prestar apoio humanitário aos deslocados que regressam às suas zonas de origem

DESTAQUE POLÍTICA SOCIEDADE

Para além de luto e terror, os ataques armados provocaram uma crise humanitária sem precedentes na província de Cabo Delgado. Segundo a ACLED, o terrorismo fez mais de 900 mil deslocados. Na Segunda – feira, 28 de Fevereiro, os embaixadores e altos – comissários da Comunidade de Desenvolvimento da Africa Austral (SADC) efecturam uma visita de trabalho a província de Cabo Delgado. Com intuito de minimizar o sofrimento dos deslocados, a alta comissária do Malawi em Moçambique e presidente dos embaixadores da SADC, Wezy Moyo, prometeu apoio aos deslocados e as famílias que estão a regressar às suas zonas de origem.

A Força Conjunta libertou algumas zonas que estavam nas mãos dos grupos armados, sendo que algumas delas a população tende a regressar. Para minimizar o sofrimento das famílias que perderam quase tudo com a eclosão do terrorismo, a presidente dos embaixadores da SADC avançou que os países da região Austral vão garantir alimentação para para evitar situações de fome nas zonas que estavam em conflito armado

“Começamos com ajuda militar à SADC, mas, agora, estamos a trabalhar para prestar apoio humanitário às famílias que estão a regressar às zonas de origem, que foram recuperadas desde que a SAMIM iniciou as suas operações de combate ao terrorismo em Moçambique. Sabemos que as vítimas do terrorismo precisam de tudo para voltar à vida normal, mas, de acordo com as nossas capacidades e visão, vamos garantir alimentação para evitar situações de fome nas zonas que estavam em conflito armado”, prometeu

A chegada das tropas ruandesas e da Missão da Africa Austral para Moçambique galvanizou Moçambique n aluta contra o terrorismo. Apesar dos êxitos alcançados no Teatro Operacional Norte, Wezy Moyo alertou que o terrorismo que assola à perola do indico constitui uma forte ameaça seriamente toda a região austral de África, tendo se mostrado feliz com a bravura das forças que se encontram na linha da frente no combate ao terrorismo.

“Estamos preocupados com a situação de Cabo Delgado, porque o terrorismo não ameaça apenas Moçambique, mas toda a África Austral. Temos de nos unir para combatermos este flagelo. Devemos limpar a região e expulsar estes terroristas. Estamos felizes em saber que, desde o seu desdobramento, a Missão da SADC em Moçambique logrou sucessos no combate ao terrorismo na zona norte do país. Estes sucessos são de saudar” declarou.

Leave a Reply

Your email address will not be published.