Ministra do Interior desconhece efectivo policial destacatado para escoltar Apóstolo Matlombe

DESTAQUE SOCIEDADE

A Igreja Velha Apostólica em Moçambique vive actualmente um ambiente de corta à faca. Os crentes daquela congregação religiosa têm recorrido a manifestações para pressionar o líder, Jaime Matlombe, a abandonar o poder. Para intimidar os manifestantes e garantir a sua segurança, Matlombe recorreu a destacamento policial que anda armado até aos dentes. Entretanto, a ministra do Interior, Arsénia Massingue, veio ao público garantir a instituição por si chefiada não destacou nenhum efectivo para garantir a escola do líder da Igreja Velha Apostólica em Moçambique.

Os crentes prometem continuar com o clima de agitação até que apostolo Jaime César Matlombe, acusado de adultério e desvio dos fundos da igreja, abandonar a liderança da Igreja Velha Apostólica em Moçambique.

Para intimidar os manifestantes e garantir a segurança de Matlombe, no dia 09 de Abril corrente, o secretario – geral da igreja, Nicolau Mabunda, formou um pedido à 14ª Esquadra da PRM da Cidade de Maputo para o evento que teria lugar na paroquia de Laulane, mas para o espanto de todos a escolta continuou a proteger Jaime Matlombe depois daquele acontecimento o que, de certa forma, com os crentes furiosos.

No parlamento, mesmo não se tratando de uma Sessão de Perguntas o Governo, o deputado da bancada do maior partido da oposição em Moçambique, questionou a ministra do Interior a razão do líder da Igreja Velha Apostólica em Moçambique merecer um tratamento especial em detrimento dos outros líderes religiosos no país, tendo Arsénia Massingue declarado que nunca houve instruções para a que a Polícia da República de Moçambique fizesse escola ao apostolo da igreja Velha Apostólica em Moçambique.

“Em relação ao caso da escolta ao apostolo Matlombe, queríamos referir como Ministério do Interior que não há nenhuma escolta destacada pelo ministério para escoltar o apostolo Matlhombe”, declarou Massingue.

Leave a Reply

Your email address will not be published.