Profunda e urgente reforma  de ética precisa-se

OPINIÃO

Afonso Almeida Brandão

O Mundo está louco. Os humanos são incapazes de seguir as lições de Racionalidade e de Solidariedade que lhes são dadas, a cada momento, pelos animais que os seres humanos apelidaram de irracionais. Estamos a necessitar de uma profunda reforma estrutural da Ética e de todo o sistema social.

O Mundo é dominado por pessoas menos capazes de darem os melhores exemplos. Sempre que o homem faz algo de novo prejudica a Natureza, e esta, pelas suas leis naturais, reage pelas condições meteorológicas, pelas alterações climáticas e pelas condições de saúde, como as epidemias e as pandemias. O homem vive da Maldade, da Ambição e da Vaidade. Em vez da Paz, procura a Guerra, gastando três milhões de dólares USD por minuto no fabrico de armas de que vivem capitalistas ambiciosos, vendendo-as a qualquer cliente, incluindo terroristas, cujo prazer é matar, sem o mínimo respeito pelas vidas das suas vítimas. Num minuto gastam tal fortuna, mas nada fazem para evitar que em cada minuto morram dez crianças de fome ou de enfermidade curável. Onde está o sentido humanitário dos donos do dinheiro?

E para que servem as armas? As míseras gentes que as usam alegam razões que pretendem respeitáveis, como em nome da Paz, de Deus, da Civilização, do Progresso, em nome da Democracia, e se com tanta Mentira não alcançarem o apoio da audiência, usam a Comunicação Social que lhes é afecta e que inventa novos inimigos imaginários. E, dessa forma, justificam a transformação do Mundo num grande Manicómio ou num horrível Matadouro.

Mas eles, pelo sistema actual, são os DONOS DO MUNDO. Não é por acaso que os cinco países que gerem o funcionamento das Nações Unidas e que têm poder de veto são também os cinco principais produtores de armas. Com tal situação, o que podemos esperar do Futuro da Humanidade? A PAZ Mundial não será atingida enquanto ela estiver nas mãos daqueles que fazem o negócio da guerra, arrecadando os lucros da venda de armamento.

E não há ninguém com poder para alterar esta realidade, porque estão todos inseridos nos mesmos princípios demoníacos. O exemplo foi dado recentemente por António Guterres, que, na sua função de Secretário da ONU, foi falar com Putin e saiu de lá maravilhado com (?) a simpatia deste «louco varrido e doente», e de lá foi a Kiev, onde houve, durante a sua presença, um forte bombardeamento de mísseis russos, do Putin, noutra parte da cidade.

A fantochada ou palhaçada da Humanidade actual foi ironizada num jornal com a ida de Guterres para gerar a Paz na Ucrânia. Visitou Putin, saindo a dizer bem das palavras sensatas que lhe ouviu, mas, pouco depois, quando visitava a capital da Ucrânia, teve o cuidado de não ser atingido por mísseis aéreos que, por especial cuidado, caíram noutro local da cidade. Os objectivos de uma tal guerra não se compadecem com cortesia.

E o Futuro da Vida Humana à superfície do Planeta não se pode esperar que saia das mãos de um outro, dos cinco detentores do Poder de veto na ONU. E esses não foram eleitos pelo seu espírito Humanitário e de respeito pelo Direito à Vida e ao bem-estar dos Cidadãos Livres. Qualquer eleição está sujeita a múltiplas influências e “amigalhaços” e coniventes ou “serventes” dos poderosos. Alguém duvida…?

Nenhuma Guerra confessa que mata para roubar, pois a Política usa uma linguagem estruturada para ocultar a finalidade real, com palavras enganadoras, como as que foram atrás referidas e as que o russo Putin disse a Guterres durante a visita deste. Procuraremos melhorar a Ética, pois a Humanidade precisa, inquestionavelmente, de uma profunda (e urgente) Reforma de Ética.