Moçambique, eSwatini e África do Sul reforçam cooperação

POLÍTICA
  • Promoção de investimento e turismo regional 

 

De mãos dadas, os governos de Moçambique, eSwatini e da África do Sul realizaram, do dia 15 a 21 de Agosto corrente, a primeira visita turística para familiarização com operadores e comunicação social,  no âmbito da iniciativa TRILAND, lançada em 2009.

 

A actividade visa promover a parceria público-privada, bem como impulsionar o turismo na região, contribuindo, desta forma, para o desenvolvimento sócio-económico da indústria turística na zona do TRILAND. 

 

É uma acção combinada e que está inserida no conjunto de um programa de marketing regional, no qual os três governos desejam estabelecer uma cooperação regional na troca de apoio, do desenvolvimento e da promoção de investimento e do turismo regional. 

 

A visita de familiarização irá permitir aos participantes ter uma melhor percepção do potencial turístico que a região dos países integrantes tem a oferecer de forma conjunta.

 

Numa recepção oferecida a delegação da iniciativa TRILAND, a ministra da cultura e turismo, Eldevina Materula, disse que “o sucesso desta iniciativa turística baseia-se na capacidade de reunir as vantagens comparativas de cada país, permitindo que os visitantes nacionais e vindos do estrangeiro tenham uma experiência da sua vida numa única viagem, explorando a cultura, a gastronomia e a biodiversidade dos três países”.

 

Por sua vez, a directora-executiva da Autoridade de Turismo de eSwatini, Linda Nxumalo, defendeu que a iniciativa pode produzir efeitos positivos. “A prioridade para nós é a colaboração, o que significa que podemos trabalhar todos juntos para garantir ganhos mútuos”, disse.

 

Para o ministro das Finanças, Desenvolvimento Econômico e Turismo da África do Sul, os três países são capazes de alcançar consensos e juntos beneficiarem das vantagens da implementação deste projecto.

 

O projecto TRILAND ganhou forma em Maio passado, onde os três países assinaram, em Durban, um memorando de entendimento, tendo como meta a implementação do programa de marketing regional que visa estimular a rápida recuperação económica de Moçambique, África do Sul e Eswatini.

 

Para os governos envolvidos, através deste programa, vai se criar roteiros turísticos que envolvam as potencialidades dos três países. Para o efeito, os visitantes ao pretenderem escalar Moçambique, por exemplo, terão informações sobre lugares e riquezas nesses dois países. O objectivo é que os recursos despendidos pelo turista beneficiem a todos e contribuam para a rápida recuperação económica dos três países.

 

A presente visita, que por sinal é a primeira do gênero, faz parte do plano de acção acordado onde o reino de Eswatini mostrou o que tem de mais forte no turismo, de uma forma geral, mas com enfoque para a cultura. Depois de Eswatini, a comitiva está por estes dia a visitar Moçambique, onde os visitantes vão ter a oportunidade de ver o que de melhor há em termos de turismo de mar e na gastronomia. Mpumalanga será a última etapa, com a aposta a ser o turismo de natureza.

 

Para além do Instituto Nacional do Turismo, a comitiva moçambicana integra também operadores turísticos.

 

Recorde-se, Moçambique tem, no seu conjunto, uma linha costeira de 2.700 Km, paisagens incríveis, praias cristalinas, incluindo corais marinhos e de água doce, um tesouro de flora e fauna que permite a ligação entre Beach-Bush Experience, onde os visitantes podem ter uma experiência verdadeiramente da Selva e Praia em curto espaço de tempo.

 

Como forma de promover seu rico potencial, Moçambique vai realizar, de 13 a 15 de Outubro do presente ano, a VIII Edição da Feira Internacional do Turismo FIKANI. Sendo membro do Conselho Executivo da Organização Mundial do Turismo para a Região da África, Moçambique vai capitalizar o evento com a presença do Secretário Geral da Organização Mundial do Turismo, Zurabi Pololikashvili.

 

O objetivo primário da FIKANI 2022 é de impulsionar as transações comerciais na área do turismo, proporcionar espaços de debates corporativos, serviços e pacotes de investimento.

 

De acordo com a ministra da cultura e turismo, Eldevina Materula, “prevemos ainda uma forte plataforma de exposição, sessões de Speed Marketing, apresentação das oportunidades de investimento, eventos culturais e gastronomia, pelo que aproveito desde já para convidar entidades públicas, privadas e a mídia a estarem presentes”.

Facebook Comments