Site icon

ADV-CMC almeja lutar pela dobradinha no campeonato de veteranos de Maputo

A Associação Desportiva e Cultural, ou simplesmente ADV-CMC, por sinal um dos crônicos candidatos ao título no Campeonato de Futebol de Veteranos de Maputo, fez uma fase regular irrepreensível e terminou a segunda volta sem nenhuma derrota. Concluída a primeira fase, a formação que conta nas suas fileiras com jogadores como Danito Parruque, Campira, Mano e Kampango, atletas que dispensam qualquer tipo de apresentação no que ao futebol moçambicano diz respeito, pretende continuar no trilho das vitórias na fase das eliminatórias do campeonato e na meia – final da taça, provas que terá como rival o conjunto do Jardim.  

Texto: Duarte Sitoe

Os craques que num passado recente espalhavam o seu valiosíssimo perfume nos relvados nacionais e internacionais penduraram as chuteiras. Actualmente, o grosso deles disputa o Campeonato de Futebol Veteranos de Maputo.

A Associação Desportiva e Cultural (ADV-CMC) tem no plantel da presente época, antigos internacionais moçambicanos, nomeadamente Danito Parruque, Mano, Campira, Hélder Pelembe e Kampango. A integração destes jogadores foi uma mais valia para o conjunto orientado por Mourinho Valabo, uma vez no corrente ano ganhou a supertaça e fez uma fase regular que roçou a perfeição.

Na primeira etapa, a ADV-CMC só teve uma derrota em 20 jogos, sendo que na volta só foi travado pela equipa Madgumbs (0-0) na derradeira jornada, uma vez que ganhou nove jogos e empatou um.

Terminada a fase regular, Valabo já está focado na fase do “mata-mata” onde vai medir forças com o Jardim, formação que na época passada eliminou a Associação Desportiva e Cultural (ADV-CMC) na fase que antecede a final, ou seja, nas semi-finais, e não pensa num outro resultado que não seja a vitória.

“Já vencemos a supertaça, falta-nos o campeonato e a taça, onde teremos uma palavra a dizer. Jogamos com Jardim na supertaça e é uma equipa bem estruturada, sobretudo experiente nesta copa e está a mais tempo que nós, mas nada é impossível, faremos de tudo para contrariar os seus objectivos com vista a alcançar os nossos. Estamos cientes de que no futebol há três resultados possíveis, mas só temos em mente o primeiro objectivo que é a vitória”, disse Mourinho Valabo, para posteriormente apontar a coesão do grupo como o segredo do sucesso alcançado na fase regular do Campeonato de Futebol Veteranos de Maputo.

“O mérito é de todos que fazem parte da equipa desde a direcção, técnicos, jogadores e da massa associativa. Temos um comprometimento comum e neste momento o grupo está bastante coeso, por isso, conseguimos alcançar a primeira parte dos nossos objectivos”.

ADV: Uma formação que ampara os seus craques

Orientar jogadores que brilharam no futebol nacional e internacional não é tarefa para qualquer um, mas Valabo conseguiu esta façanha e contou ao Evidências que tem uma boa convivência com os mesmos quando foi chamado a falar da sensação de ser o treinador dos mesmos.

“Os jogadores já estiveram na alta competição, mas neste momento estão igualmente num nível alto que é de veteranos e que tem muitas estrelas. Sempre digo a eles que não vim para vos ensinar a jogar, mas sim dar um sistema táctico para vencer jogos. Agora eles não têm a mesma frescura física do passado, por isso, na nossa equipa a bola é que corre mais”.

Danito Parruque envergou por vários anos a braçadeira de capitão no Ferroviário de Maputo e actualmente desempenha a mesma função na Associação Desportiva e Cultural (ADV-CMC). Olhando para a derradeira fase do Campeonato de Futebol de Veteranos de Maputo, Parruque não alinha em discursos triunfalistas, mas garante que a formação por si capitaneada vai entrar em campo para ganhar os jogos em que terá como adversário o conjunto do Jardim.

“O futebol tem três resultados, mas estamos convictos que estamos preparados e vamos ganhar os jogos que teremos pela frente. Não estamos a dizer que já somos campeões, mas que vamos lutar para isso. O Jardim é uma equipa coesa e que ganhou a dobradinha na época passada, por isso, não é uma equipa fácil. Estamos cientes de que não serão jogos fáceis, mas o objectivo é único, vamos lá para ganhar”.

Nas entrelinhas, o antigo internacional moçambicano referiu que encontrou uma segunda família na ADV, visto que desde que engrossou neste conjunto nunca se sentiu desamparado.

“Estou feliz porque quando cheguei fui bem acolhido. Não me senti desamparado, porque tenho colegas e amigos. Dentro destas épocas que me receberam fui homenageado como uma figura que dispensa apresentações no nosso futebol. Fui recebido pelo Mavó, sendo que nessa altura era antes de ser jogador da ADV, é algo que jamais irei esquecer, não me arrependo de ter vindo a ADV”.

Por sua vez, Hélder Pelembe, que também destacou a forma como foi bem recebido na Associação Desportiva e Cultural (ADV-CMC) e anteviu duelos electrizantes com o conjunto do Jardim, mas realçou que vai lutar para alcançar os seus objectivos.

“Temos um objectivo por alcançar e graças a Deus até agora trilhamos pelo caminho das vitórias. Temos continuar a trabalhar para que o nossos sonhos sejam concretizados. Os jogos com o Jardim são sempre complicados, é rival muito forte e principalmente nesta derradeira fase. Se eles conseguiram chegar a esta etapa é porque é um adversário que tem uma palavra a dizer. Vamos continuar com a mesma humildade e focados naquilo que é nosso objectivo que passa por vencer, creio que pela fase regular que fizemos a coisas vão sorrir para o nosso lado”, concluiu.

 

 

 

Exit mobile version