Abertos 25 centros transitórios para acolher vítimas do Ciclone “Gombe” em Nampula e Zambézia 

DESTAQUE SOCIEDADE

A passagem do Ciclone Tropical “Gombe” deixou um rasto de destruição sem precedentes nas províncias de Nampula e Zambézia. Dados preliminares do Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD), além das 15 mortes já confirmadas, apontam que o ciclone tropical afectou mais de 100 mil pessoas nas zonas centro e norte. Para minimizar o sofrimento das famílias que perderam quase tudo com a passagem do Ciclone “Gombe” , o INGD abriu 25 centros transitórios.

De acordo com o Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres (INGD), 22 dos 25 centros transitórios foram instalados na província de Nampula, por sinal a mais afectada pela tempestade, para albergar cerca de 10 mil pessoas. Na Zambézia foram abertas três centro que albergaram até ao momento cerca de 1800 pessoas.

Dados preliminares tornados públicos na segunda – feira, 15 de Março, reportaram a ocorrência de 15 mortes, todas na provincial de Nampula, sendo que onze foram causadas pelo desabamento de casas, por sinal cinco pertencentes à mesma família, no distrito de Angoche, três por queda de árvores e uma por electrocussão. Na província da Zambézia, ainda de acordo com a INGD, uma pessoa continua desaparecida desde sexta-feira, enquanto 131 já foram resgatadas.

Por outro lado, o Instituto Nacional de Gestão e Redução do Risco de Desastres avançou que o número de feridos subiu de 40 para 50.

No que ao rasto destruição provocado pela passagem do Ciclone Tropical Gombe diz respeito, àquele entidade estatal reportou a destruição total e parcial de 11.882 e 10.811 casas, 16 unidades sanitárias, 113 escolas, 15 casas de culto, duas pontes, cinco estradas e 16 embarcações.

Refira-se que, para se inteirar para se inteirar do impacto causado pelo Ciclone Tropical Gombe,o Primeiro – Ministro, Adriano Maleiane, acompanhado pela Presidente do Instituto Nacional de Gestão de Desastres (INGD), Luísa Meque, escalou, na segunda – feira, 14 de Março, a província de Nampula.

Na chamada capital da zona norte, Maleiane pretende monitorar as acções em curso de resposta e assistência humanitária nas zonas atingidas, expressar a solidariedade do Governo para com as pessoas afectadas bem como avaliar as necessidades de reconstrução de emergência de infraestruturas sociais básicas que ficaram destruídas.

Ainda no seu programa de actividades, o Primeiro – Ministro vai efectuar visitas às zonas e infraestruturas públicas e privadas afectadas pelo ciclone nos distritos de Mongicual e Monapo, tendo igualmente agendado encontros com os órgãos de Representação do Estado na Província e do Conselho Executivo Provincial.

Leave a Reply

Your email address will not be published.