Site icon

Jovens africanos capacitados em matérias de Direitos Humanos e Advocacia

A capital moçambicana, Maputo, foi, recentemente, palco do Seminário Africano sobre Redes de Advocacia Juvenis na qual foram abordadas várias temáticas sobre os Direitos Humanos das Crianças, Desigualdades, Violência Baseada no Gênero, Violência sexual e Aquisição de Conhecimento sobre a Importância da Advocacia e Assuntos Éticos na Sociedade. O evento, organizado pela Associação do Desenvolvimento da Família (AMODEFA), teve a duração de dois dias e contou jovens oriundos de 11 países africanos.

Foi na qualidade de membro da Federação Internacional para a Paternidade Responsável, agremiação que Moçambique faz parte, que a AMODEFA juntou, na Cidade de Maputo, jovens com idades compreendidas entre 18 e 30 anos para debater vários assuntos ligados aos Direitos Humanos, violência baseada no gênero e assuntos éticos na sociedade.

Falando à margem do evento que para além de Moçambique contou a presença de jovens provenientes de Botswana, Burindi, Burkina Faso, Cabo Verde, E-swatini, Etiópia, Lesotho, Lesotho, Namíbia, Tanzânia e Uganda, o assistente de Monitoria e Avaliação de Programa na AMODEFA, Marcelo Conte, referiu que o seminário visava reunir esforços de todas as organizações membros e apoiar na base de experiência para capacitação dos outros membros.

“Vimos o programa SMS Biz que é uma forma de oferecer serviços usando as plataformas sociais para os adolescentes. Muitas organizações não têm esse modelo. Queremos unir esforços para fazer as mesas actividades mesmo em contexto diferente”, declarou Conte.

Em representação dos jovens do Lesotho, Senate Seisa, de 22 anos de idade, disse que o conhecimento adquirido ao longo dos dois dias do seminário servirá para desenvolver mais estratégias para beneficiar os jovens do seu país.

“Uma da pratica que se retiramos do debate é colaborar com os fazedores de política e líderes religiosos para incentivar a camada juvenil a não se limitar a reclamar e, sim, fazer parte da implementação da mudança de vários desafios que apoquentam está camada no Lesotho”, disse Seisa.

Por sua vez, Jeremias Cabral, jovem cabo – verdiano de 25 anos de idade, mostrou-se feliz com os temas que foram abordados no seminário e garantiu que fará devida aplicação das lições aprendidas no seu país de origem.

“É importante que as nossas acções não sejam isoladas, mas, sim, algo articulado em forma de rede, coordenado com um impacto certo ao nível internacional. Vamos aplicar em Cabo Verde as lições aqui aprendidas e criar networking com colegas de outros países”, apontou.

Refira-se que é missão da AMODEFA Liderar, advogar e assegurar os direitos e acesso aos serviços sexuais e reprodutivos integrados e de qualidade de forma inclusiva, em especial para adolescentes e jovens, numa abordagem baseada nos Direitos Humanos.

Exit mobile version