Mais de 30 pessoas receberam kits profissionalizantes na Zambézia

DESTAQUE SOCIEDADE

Trinta e quatro beneficiários receberam esta semana, em Mocuba, província da Zambézia, kits profissionalizantes nas áreas de salão de cabelereiro, corte e costura e carpintaria. Os beneficiários constituidos de 20 mulheres e 14 homens são oriundos dos distritos de Mocuba, Ilé e Lugela.

Os jovens contemplados fazem parte dos 39 clubes comunitários assistidos pela Livaningo, no âmbito do projecto AVIR, que promovem debates de assuntos transversais que afligem jovens e mulheres nas comunidades.

Segundo a Livaningo, a  selecção dos beneficiários foi mediante critérios pré-seleccionados, priorizando mães solteiras, jovens chefes de família, pessoas com deficiência e parentes dos membros do processo de Desmobilização, Desmilitarização e Reintegração dos ex-guerrilheiros da Renamo (DDR).

Falando no acto da entrega de kits profissionalizantes, o presidente do Municipio de Mocuba, Geraldo Sotomane, mostrou-se satisfeito com os resultados do projecto AVIR que, no seu entender contribui no cumprimento do Plano Quinquenal do Governo.

“Encorajamos todas as iniciativas que potencializam os jovens, de forma a reduzir os índices de desemprego a nível local e nacional”, disse Sotomane.

O administrador de Mocuba, Joaquim Pahare, sugeriu a montagem de uma equipe multissectorial composta por técnicos da Livaningo, técnicos do governo local e municipal para fazer a supervisão contínua dos kits, visando garantir que o propósito da sua alocação tenha sucesso. Aos jovens, o administrado apelou a seriedade no propósito.

Visivelmente satisfeita, Rute Quibelo, 22 anos de idade, uma das beneficiárias do projecto AVIR, recebeu do administrador o kit e a partilhou com a plateia a sua satisfação. Revelou que, como pessoa com deficiência de pigmentação da pele (albina) sofre discriminação na comunidade e por isso, excluida de várias oportunidades. Contudo, “o projecto AVIR ganhei óculos, minimizando problemas de visão e capacitou-me com um curso profissionalizante que vai mudar a minha vida”, disse Rute. 

“Sempre sonhei ter um salão mas tinha limitações financeiras, graças ao projecto AVIR, aprendi como fazer e gerir um salão e fui oferecida todo o material para começar. Estou muito grata a Livaningo”, agradeceu Maria Francisco.

O projecto AVIR está a ser implementado pela ADRA, Livaningo e NLR, nos distritos de Mocuba, Ile e Lugela, na província da Zambézia, através dos fundos da União Europeia em Moçambique (UE) e da Austrian Development Agency (ADA), por um período de três anos (1 de outubro de 2022 a 30 de setembro de 2025).

Facebook Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *