SERNIC agastada com a actuação da SERNAP em Sofala

DESTAQUE SOCIEDADE

A directora provincial do Serviço Nacional de Investigação Criminal na província de Sofala, Benjamina da Graça Chaves, mostrou-se agastada com a actuação do Serviço Nacional Penitenciário (SERNAP) naquele ponto do país, uma vez que o crime organizado, com destaque para os raptos, que são orquestrados a partir dos estabelecimentos prisionais.  Por outro lado, Chaves avançou que será levado a cabo um plano conjunto com a SERNAP para eliminar o uso dos telemóveis nas cadeias.

Em 2021, o crime organizado voltou a exibir a sua musculatura perante ao olhar impávido dos agentes da lei e ordem. Recentemente, o SERNIC completou cinco anos desde a criação e sob o lema SERNIC apostando na profissionalização de quadros para uma investigação moderna e científica face ao crime com enfoque ao rapto, corrupção e terrorismo” celebrou a efeméride várias actividades foram realizadas, tendo culminado com apresentação das realizações e desafios que estes serviços enfrentam.

Segundo Benjamina Da Graça Chaves, directora provincial do SERNIC em Sofala a situação criminal da província tem vindo a ganhar destaque a crimes violentos. Chaves adiantou, por outro lado, que no ano passado foram registados 8.149 processos crimes, dos quais 3.458 foram esclarecidos e 4.661 ainda continuam sob investigação.

O envolvimento dos agentes do Serviço Nacional de Investigação Criminal no crime organizado é um facto de domínio público e já com barbas brancas. Contudo a directora provincial da SERNIC mostrou-se desagradada com Serviço Nacional Penitenciário ao nível da província de Sofala, uma vez que no cumprimento das suas penas os reclusos continuam activos no mundo do crime através de dispositivos moveis

“Não é permitido que os telemóveis entre nas penitenciárias, mas a partir dos resultados obtidos nas nossas investigações, tivemos provas que os telemóveis entram nas penitenciárias e engendram raptos”, declarou Chaves para posteriormente avançar que para ultrapassar este fenómeno a SERNIC esta a preparar um plano operativo conjunto com o SERNAP para eliminar o uso dos telemóveis nos estabelecimentos prisionais.

Por sua vez, Eduardo Macario, Director do Gabinete da Secretária de Estado em Sofala, instou o SERNIC a usar métodos mais eficientes para abortar vários tipos de crimes com destaque para os raptos e terrorismo.

Macário desafio a instituição chancelada pelo Ministério do Interior para não estar na zona de conforto, procurando as melhores técnicas e assertivas para prevenção e repreensão de vários crimes na província de Sofala.

ʺTemos notado nos dias de hoje que os criminosos estão cada vez mais a sofisticar a sua forma de actuação ou seja o seu modo operandos exigindo desta forma uma resposta a altura e para isso exige-se do vosso lado uma permanente capacitação e modernização dos procedimentos investigativos ʺ disse Macário

Leave a Reply

Your email address will not be published.